Anúncios

Posts Tagged ‘tecnologia’

::No mundo tecnológico em que vivemos…::

01/02/2018

A Amazon lançou uma maquininha de inteligência artificial aqui na Alemanha chamada Alexa. Outro dia estava pensando: ai daquelas mulheres que têm esse nome!… Agora todo mundo deve estar virando pra ela e comandando coisas como:

  • Alexa, apague as luzes!
  • Alexa, qual é o diâmetro da Terra?
  • Alexa, quantos idiomas você fala?
  • Alexa, toque a música x em tal lugar da casa!

E assim vai. Como você pode imaginar, a Alexa só entende alemão depois de quase 10 anos de desenvolvimento árduo, pode ser conectada a outros equipamentos dentro da sua casa que sejam capazes de se comunicar com outros (Home Automation), é sabida porque ensinaram muitos conhecimentos gerais pra ela e pode, logicamente, fazer compras pela Amazon, razão primordial pela qual ela deve ter sido criada, claro.

Tínhamos acabado de receber a Alexa entre nós, que foi devidamente colocada em um lugar central da nossa casa. Estávamos numa bela manhã tomando café juntos, batendo papo sobre isso e aquilo, até que o Matthias, meu marido, comentou:

  • Precisamos dar uma arrumada a cozinha. Se você conseguisse se ver livre de algumas coisas, seria mais fácil!

Ao que eu respondi:

  •  Do que eu adoraria me ver livre seriam os vasilhames de plástico que acabamos de comprar, que são novos, mas são infelizmente de péssima qualidade e quase me matam de raiva quando os tento fechar!

Ele, sem se dar por vencido, pergunta pra Alexa:

  • Alexa, qual é o conjunto de vasilhames que vc nos recomendaria?

Ela, prontamente, respondeu:

  • O conjunto de vasilhames que é no momento “Amazon’s choice”, é um conjunto de 15 peças, de plástico resistente na cor verde esmeralda, com tampas transparentes e fáceis de manusear pelo preço de 14,99 euros. Você quer comprá-lo?

Nós, um pouco assustados com a rapidez da garota, conversamos entre nós. Eu:

  • Bom, parece interessante, mas eu acho que gostaria de ver as fotos e ler os comentários de outros clientes sobre o produto, né?

Ao que a Alexa reagiu, bem prontamente:

  • Pois não, a compra foi efetuada. Vai chegar na sua casa depois de amanhã!

Tomamos um susto! Quer dizer que se a Alexa (que as más línguas aliás contam que fica bisbilhotando a sua casa e ouve tudo o que é falado nela) não ouvir claramente que você não quer comprar alguma coisa, você então atualmente quer comprar?!? Que negócio é esse?… E se eu perguntasse pra ela qual é atualmente o Porsche mais potente? Ela me diria que custa tanto e avisaria quando ele estaria chegando na minha casa? É brincadeira?

Corremos no site da Amazon. A compra estava lá, efetuada e confirmada. Dei uma olhada nos vasilhames e gostei mesmo deles. Em dois dias os novos chegavam, e os velhos foram separados para outro uso ou para serem realmente jogados fora. Um ponto pra Alexa!

::Science Tour December 2014 – Germany::

12/08/2014

Inscreva-se agora para uma excursão de uma semana às instalações de pesquisa de ponta na Alemanha, nas áreas de modelagem e simulação computadorizada. A turnê se concentrará nos temas atuais sobre ciências marítimas, economia, mudanças climáticas e epidemiologia e está aberta para pesquisadores estrangeiros e administradores de universidades e institutos de pesquisa. Inscrições aqui até 20 de setembro de 2014.

Fonte: website do DAAD Brasil.

::Novas tecnologias::

20/10/2013


Estou blogando pela primeira vez direto do meu laptop, direto do Microsoft Office 2013 e escrevendo desta vez com um teclado brasileiro. Vamos ver se consigo publicar esse texto, é esperar pra ver! Ontem publiquei um texto deitada na minha cama, usando meu iPhone e o app da WordPress. Também uma maneira bem confortável de blogar!

Cresci absolutamente sem internet. A universidade pra mim foi sinônimo de filas e mais filas pra tirar cópias xerox praticamente ilegíveis, dado que só existia um exemplar de um determinado livro pra todos os alunos, de todos os turnos de toda a universidade. A internet existe pra mim desde 1993, quando, aqui na Alemanha, como que por milagre passou a ser possível receber as manchetes dos jornais brasileiros no meio acadêmico e isso já era fantástico demais. Desde 1995 passei a trabalhar diariamente com a internet e em seguida já tinha computador em casa, aproveitando de todas as facilidades do mundo moderno. Há 10 anos atrás, quando comecei a blogar, muita coisa ainda era restrita, nova, desconhecida. Hoje todo mundo anda com um smartphone nas mãos, tendo toda a facilidade de pesquisar e se informar sobre o que quiser num passe de segundos, de entrar em mil e um programas e aplicativos, de pedir ajuda ao mundo desconhecido e impessoal da net. Muitas pessoas preferem buscar por uma resposta sobre, por exemplo, onde fica uma rua usando a internet, do que perguntar pra um desconhecido e por consequência pedir ajuda para um ser humano, mesmo se estiver bem pertinho da rua procurada. Antes tínhamos dúvidas e ligávamos pra nossa mãe ou nosso pai, mas a tendência de hoje é perguntar pra “mamãe Google” o que fazer.

Mesmo tendo lidado com muita tecnologia tanto na vida privada como na profissional, me sinto correndo atrás de ficar atualizada, pois hoje sinto como se vivesse na época do “tudo ao mesmo tempo agora”. Sinto também que as gerações anteriores à minha estão bem mais à vontade no que diz respeito às novas tecnologias. Eu, hoje com meus 43 anos, sinto-me como um divisor de águas: acima da minha idade estão, em grande maioria, aqueles que lutam pra acompanhar os avanços tecnológicos e abaixo de mim estão aqueles que têm facilidade exacerbada pra coisa. Enquanto isso, eu vou nadando no turbilhão…

É muita coisa pra aprender. Mal se domina um programa, surge outro, ou uma nova versão do então dominado. Com algumas exceções eu vou morrer sem saber por que alteram tanto programas que já estão funcionando tão bem. Aquilo que funcionava tão bem deixa de existir, e todos têm que começar de novo do começo. Somos uns eternos aprendizes. Por outro lado, também não ficamos parados no tempo e por mudarmos de emprego, por exemplo, arrumamos mais sarna pra nos coçar, como no meu caso…. Bom, mas vamos que vamos, porque atrás vem gente. E como esse povo não se cansa de novidade, na nossa frente vêm vindo mil e um programas esperando por chamar nossa atenção!…

 

 

::Homenagem a Steve Jobs::

06/10/2011

Muitas vezes penso sobre os relacionamentos humanos e chego à conclusão de que deve existir alguma ligação invisível entre as pessoas, um fio invisível de uma imensa teia de aranha que nos atrai uns aos outros. Dando como exemplo o meu livro, ele liga pessoas que, em regra, virariam amigas se pudessem se conhecer entre si. Acho isso incrível! É mesmo como um imã invisível que puxa o semelhante ao semelhante.

Eu nunca vi nenhuma apresentação do Steve Jobs, este é o 1° vídeo que vejo dele, pois hoje uma parte do que ele falou foi divulgado numa rádio local, por ocasião da sua morte. Mas eu o admiro, tenho um certo carinho, respeito e penso que, como diz uma linda musiquinha de jardim aqui da Alemanha, o mundo teria sentido falta dele se ele não tivesse vindo ao mundo.

Claro que a Apple, assim como qualquer outro empreendimento, não tem só significados bons e o status e hype que se criou em volta da marca é certamente exagerado. Mas se pensarmos que este cara começou a empreender em uma garagem e hoje muitos de nós carregam consigo um modelo que ele criou, ou uma cópia inspirada em suas visões, que a empresa dele emprega muitos mil funcionários e que uma visão de um só ser humano revolucionou nossa maneira de nos comunicar é o máximo pra mim. Eis aqui todas as capas de revista em que ele apareceu durante sua carreira e um post maravilhoso dedicado ao Steve Jobs aqui.

Sinto por ele ter morrido um dia depois do lançamento do iPhone 4S (“for Steve“) e desejo que ele não tenha ficado sabendo das muitas críticas e do fato de que as ações da empresa caíram logo depois da apresentação do novo modelo. Agora ele vai ficar fazendo a ligaçã satélite entre nós, cá embaixo, com o mundo lá de cima.

No vídeo acima ele demonstra ter uma visão muito bonita da morte e fica claro que usou a morte como fonte de inspiração para seguir os chamados do seu coração. Ele a enfrentou sempre de frente, e muitas vezes ela resolveu o deixar viver mais algum tempo. Ele sugere que outros façam o mesmo que ele fez. Mudar pra deixar entrar coisa nova na vida da gente, viver o que temos pra viver e não perder tempo em ficar copiando ninguém, nem aceitando dogmas que não são os nossos. Amém! Que Deus (o universo) o tenha!

E qual é a sua opinião a respeito da morte?

::Tecnologia mineira::

12/10/2009

Recebi este “papo de mineiro” da minha amiga Ceci – autor desconhecido:

“É… das invenção dos homi, a que mais tem sintido é o abraço. O abraço num tem jeito di um só aproveitá! Tudo quanto é gente, no abraço, participa uma beradinha…
Quandu ocê tá danado de sodade, o abraço de arguém ti alivia… Quandu ocê tá cum muita raiva, vem um, te abraça e ocê fica até sem graça de continuá cum raiva…. Si ocê tá feliz e abraça arguém, esse arguém pega um poquim da sua alegria…. Si arguém tá duente, quandu ocê abraça ele, ele começa a miorá, i ocê miora junto tamém…
Muita gente importante e letrado já tentô dá um jeito de sabê purquê qui é qui o abraço tem tanta tequilonogia, mas ninguém inda discubriu… Mas, iêu sei! Foi um ispirto bão de Deus qui mi contô….. Iêu vô contá procêis u qui foi quel mi falô: O abraço é bão pur causa do coração… Quandu ocê abraça arguém, fais massarge no coração!… I o coração do ôtro é massargiado tamém! Mas num é só isso, não… Aqui tá a chave do maió segredo de tudo:
É qui, quandu nois abraça arguém, nóis fica cum dois coração no peito!…
INTONCE…
UM ABRAÇU PRÔ CÊ!!!!”

Concordo em genero, número e grau! Os abraços que eu dou hoje e já sinto falta num futuro, quando o meu pequeno crescer, são os diários que eu dou no Daniel ao me despedir dele de manhã. Tem coisa mais gostosa do que um bom abraço?!? Tinha até feito um poeminha pro Dani-boy outro dia, que tinha esquecido de publicar. Aqui vai:

Daniel,
O bravo, decidido, resoluto
Como sinto falta dos seus cachinhos!
E já sinto falta hoje do seu abraço apertado,
Dos seus beijinhos na despedida do jardim
Amor de mãe e filho homem
É diferente, intenso
Um pouco indescritível
Imagem e semelhança
De uma pessoazinha querendo seu espaço
Um calor bom no coração
Amor sem fim

P.S.-Um abraço bem abertado, Ceci! 🙂


%d blogueiros gostam disto: