Anúncios

Posts Tagged ‘Europa’

::Dica de viagem – pesquisa de acomodações::

14/10/2017

Depois de tanto planejar viagens pra mim e pra outras pessoas, tanto na vida privada como na profissional, estou virando uma expert com quase 25 anos de experiência, ehehehe… E pensei em dividir dicas com vocês, leitores, que com certeza gostam tanto de viajar quanto eu!

Dica número 1: sempre fazer pesquisa de acomodações, principalmente aqui na Europa, através da página Booking.com. A página pode ser acessada em mais de 40 idiomas, também em português! Ela dá uma boa ideia das opções e tipos de acomodações, oferece a possibilidade de você fazer uma avaliação de custo-benefício através da opinião de outros viajantes quanto a inúmeros quesitos e, claro, quanto ao que você considera importante. Com o tempo você começa até a receber descontos, caso se registrar! Clicando no link acima, tanto você quanto eu ganhamos 15 euros de desconto na próxima reserva. Outra super vantagem: uma boa parte das reservas podem ser canceladas até uma determinada data antes da viagem, o que traz um pouco mais de segurança ao planejar o seu passeio!

Vamos viajar? Se quiserem sugerir a próxima dica, fiquem à vontade!

Anúncios

::Dia Internacional da Mulher::

07/03/2016

Amanhã é o Dia Internacional da Mulher e muitos dirão que uma data comemorativa como essa já está ultrapassada, mas é aí que muitos se enganam.

IMG_6915

Talvez digamos isso porque não temos consciência completa de que só existe data comemorativa para minorias, e somos claramente uma delas. Apesar de já representarmos na atualidade mais da metade das pessoas que frequentam uma universidade, seja em curso de bacharelado, mestrado ou doutorado, não formamos nem 15% do grupo de liderança das empresas, mesmo que vários estudos já tenham provado e todos saibam que empresas diversas, com mais de 30% de mulheres ocupando cargos de liderança, tendem a ter mais sucesso.

Eu era contras as quotas de toda e qualquer espécie, contra as quotas que foram adotadas no Brasil para a entrada na universidade, e apesar de adotar uma posição feminista, também era contra as quotas que estão sendo discutidas e adotadas aqui na Europa com relação à mulher em cargo de liderança para empresas de capital aberto. Isso porque eu busco Justiça, trabalho na área de recrutamento e seleção e sempre fui a favor de que o melhor candidato ocupe uma vaga em aberto, seja ele homem ou mulher. Esta foi a minha postura até o dia em que troquei ideias com um colega de trabalho, que já acompanha há 30 anos as discussões acerca da mulher no mundo dos negócios e diz que já está cansado de presenciar tanta discussão e tão pouca ação. Ele é a favor das quotas por um determinado período de tempo, pois só uma medida drástica como essa poderá modificar o cenário existente onde as mulheres são responsáveis por 70% das decisões de compra, mas ocupam a maioria dos cargos com menor poder de decisão e chegam a ganhar menos pelo mesmo trabalho desempenhado por um homem. Enquanto nos esforçamos em ser boas funcionárias e em agradar a chefia, admitindo honestamente o que sabemos e o que não sabemos numa entrevista de emprego, muitos homens estão ocupados se catapultando ou se mantendo no auge do poder, mantendo o estatus quo que tão bem conhecemos.

the-intern-200x300Nós, mulheres, temos ainda um defeito horrível de procurar sempre em nós a culpa para tudo o que não anda bem. Como no caso da personagem Jules Ostin do filme “Um Senhor Estagiário” (The Intern), que apesar de ter sucesso como CEO de uma start-up de moda e driblar seus dias entre o sono, escritório, trabalho em casa e os papeis de profissional, esposa e mãe, se dá toda a culpa e começa a buscar um sucessor, propondo-se a se desligar em parte de seu grande sonho e do sucesso empresarial conquistado, quando descobre que o marido a está traindo. Sugiro que o filme seja visto pelo maior número possível de mulheres, pois precisamos de mulheres neste mundo que admitam ter sonhos e que lutem por eles, que não se escondam atrás deles ou o escondam debaixo dos cobertores, se fazendo menores do que são. Precisamos de investir um tempo revendo o que já conquistamos nas últimas décadas mas também precisamos de coragem pra abrir a boca quando algo não vai bem, dentro ou fora do ambiente de trabalho. O preconceito, as tramas do poder, os comentários maliciosos, as “chegadas pra lá” não são uma exceção e não vão parar de existir só porque nós as ignorarmos. E, acima de tudo, temos que admitir que não somos nenhuma Mulher Maravilha, mas sim pessoas de carne e osso com muitos erros e limitações. Não podemos querer ser perfeitas e nos cobrar o impossível como mães, mulheres e profissionais, pois isso só nos levará à amargura. Precisamos dividir os fardos e os prazeres dentro e fora de casa. Que saibamos comemorar o Dia Internacional da Mulher e esperemos que um dia não exista razão para uma data comemorativa como essa, pois a mulher terá alcançado o espaço que lhe é de direito. Que tenhamos coragem pra sonhar… como eu sonhei, por exemplo, em um dia poder ver a Madonna, o Papa Francisco ou a Angela Merkel ao vivo e a cores, e que tenhamos fé, persistência e resiliência pra acreditar que nossos sonhos podem se tornar realidade. Eu, ainda que tenha que admitir que seja um tanto quanto teimosa e fora do normal, vi os três e quero continuar a sonhar.

P.S. – Dicas de mulher pra mulher:

MAKERS – The largest video collection of women´s histories

20 Inspiring TED Talks every woman should watch

Male Champions of Change

Se tiver dicas, deixe-as por favor nos comentários. Eu e as outras mulheres agradecemos!

P.S. 2 – Leia também aqui “Os direitos da mulher” e aqui “A Alemanha é uma sociedade machista?”

::#WelcomeChallenge – Onda de Solidariedade para com Refugiados na Alemanha::

07/09/2015


Ainda estou processando os fatos dos últimos dias. Já chorei algumas vezes, ao ver os vídeos dos alemães dando boas-vindas aos refugiados que têm chegado aos montes na Alemanha.

Sim, o preconceito racial continua existindo na Alemanha. Sim, o mundo continua sendo da opinião de que existem pessoas melhores e piores, dependendo de seu passaporte e da língua que falam. Sim, os nazistam continuam por aí. Mas há esperanças, há grandes esperanças. Enquanto nos noticiários surgem reportagens de casas (de refugiados ou de pessoas que apóiam os refugiados) que foram incendiadas propositalmente, nos últimos dias os noticiários e as manchetes que predominam na Alemanha são os da solidariedade do povo alemão direcionados aos refugiados, recebendo-os nas estações de trem, dando-lhes comida, bebida, bichinhos de pelúcia para as crianças, aplaudindo sua chegada… É muito emocionante! Ainda mais para mim, que cheguei aqui em 1993, exatamente na época em praticamente não se via (mas certamente existia) solidariedade direcionada aos que chegavam e na realidade era bem mais comum ouvir notícias de incêndio das moradias de asilados… O incêndio de Solingen, por exemplo, marcou a história do país, e tornou-se símbolo daquela época, quando um pequeno grupo de alemães, bêbados, depois de terem sido expulsos de uma festa, foram para a frente da casa de uma família turca, colocaram fogo nela e mataram, ao todo, cinco pessoas, deixando 17 pessoas feridas. Lembro-me que os membros da AIESEC, com quem eu convivia, usava naquela época, como sinal de protesto, camisetas com o nome de todas as cidades onde incêndios daquele tipo tinham acontecido naqueles anos fatídicos… Meu marido disse que naquela época a Alemanha era tão preconceituosa que até ele, que tinha morado no exterior e voltou a morar em seu país natal, sentia o preconceito com relação a ele mesmo, por não ter crescido aqui, não ter nascido na região onde morava. Alguns amigos me contaram que os jovens dos bairros da região onde moro tinham muita rixa uns com os outros naquela época, muitos não se misturavam e não se aceitavam. E vejam bem, isso tudo aconteceu há pouco mais de 20 anos atrás!…

Desde então a Alemanha mudou de cara – e de alma. O país se internacionalizou. O inglês virou o segundo idioma mais falado. Em 1993 já andei quilômetros e quilômetros em Frankfurt procurando UMA pessoa que falasse inglês!… Os jovens crescem agora em grupos multiculturais e acham que o multiculturalismo é algo natural. O termo “pessoas de origem migratória”, mesmo que possa ser usado de forma pejorativa, surgiu para tentar entender e quantificar o processo migratório que se instalava, cada vez mais, no país. Hoje uma em cada cinco pessoas que moram na Alemanha, ou seja, 20% da população, é estrangeira ou filha de estrangeiros.

Está claro que a situação atual não está clara para ninguém. Nenhum país ou líder tem todas as repostas para a onda migratória que está afetando o mundo todo, e alterando o quotidiano da Europa, mudando sua cara mesmo. Os empresários alemães vêm a chegada de jovens como uma mão de obra potencialmente propícia para ocupar os postos de trabalho que estão em aberto na Alemanha e para garantir o crescimento econômico do país. O governo vai ter que alterar as leis relativas a refugiados para que eles tenham o direito de trabalhar mais rapidamente, facilitando sua integração. Escolas e universidades preparam-se para receber também os refugiados e aumentar os cursos para o aprendizado do idioma. Voluntários de todas as cores e sabores atuam de várias formas ajudando os refugiados e aqueles que já foram declarados oficialmente como asilados. Pessoas comuns participam de doações, dentre e fora da internet, e no Facebook vários grupos, como por exemplo o #WelcomeChallenge (no mesmo estilo do #IceBucketChallenge do ano passado), faz ações e doações para ajudar os que estão chegando no país e depois nomeiam colegas e amigos para que a boa ação seja seguida por outros. Muitas pessoas que exercem influência e têm um papel de destaque no país, como o ator e diretor de cinema Til Schweiger, estão se engajando em prol dos refugiados e influenciando positivamente a sociedade.

Óbvio que enquanto a população ajuda, ela também tem medo. Metade da população preocupa-se com a integração e a manutenção de tantos asilados no país. Enquanto os membros da Comunidade Europeia discutem como dividir os refugiados entre si, a Hungria constrói um muro de 175 km na fronteira com a Sérvia… Enquanto turistam se deitam para merecidamente curtir suas férias nas praias, como por exemplo na ilha de Kos, refugiados chegam nessa ilha da Grécia e em muitas outras com necessidades básicas a serem atendidas… O governo alemão vai ter que contratar mais de 1000 pessoas e disponibilizar mais dinheiro para poder receber e processar os pedidos de asilo, de forma a ajudar a quem realmente precisa. Discute-se a diferença entre o refugiado, que está fugindo de uma situação insustentável de guerra e condições inexistentes de vida digna em seu país natal, e o imigrante, que busca melhor qualidade de vida, mas não está necessariamente passando por dificuldades tremendas para manter sua dignidade. Pretende-se concentrar os esforços e ajudar a quem realmente está precisando de ajuda.

A ideia de que moramos em um só planeta e de que somos todos um, somos todos seres humanos com as mesmas necessidades e desejos, urge ainda mais na situação atual. A foto do menininho morto na praia da Turquia rodou o mundo e colocou muita gente pra pensar. O Papa Francisco pediu para que cada igreja, cada mosteiro, a começar por ele no Vaticano, cuide de pelo menos uma família refugiada. Muitos aqui lembram que os alemães tiveram que fugir durante as Guerras até dentro de seu próprio país e que tiveram a sorte de serem recebidos e terem podido reerguer suas vidas em outras partes da Alemanha, outros por sua vez em muitas outras partes do mundo, também como emigrantes. Ontem foram eles, hoje são outros. Ontem foram alvo de solidariedade, hoje são solidários. Não há resposta para todas as perguntas atuais. Não há resposta para quase nenhuma pergunta atual. Mas há muita solidariedade de pessoas comuns como eu e você. Esta já é uma grande resposta.

Quer ajudar e não sabe ainda como? Veja aqui um Portal de Informações sobre Projetos de Ajuda a Refugiados na Alemanha.

°°°

Encheram a terra de fronteiras, carregaram o céu de bandeiras, mas só há duas nações – a dos vivos e dos mortos.”
Mia Couto

::Os países mais procurados por imigrantes::

03/01/2015

Veja aqui um infográfico onde a Alemanha parece como o segundo país mais procurado mundialmente por imigrantes:

Pra contrabalancear, aqui um infográfico com os maiores medos dos europeus:

Fonte: infográficos do jornal Die Welt (fontes OECD e Comissão Européia).

::Em tempo – livro da Mineirinha temporariamente esgotado na Europa::

06/07/2014

O livro Mineirinha n’Alemanha está, no momento, esgotado na Europa. Até o meio de setembro continuarei recebendo pedidos, mas somente a versão eletrônica do livro estará disponível. A partir de 13/09/14 o livro voltará a estar sendo vendido normalmente aqui na Europa.

As vendas no Brasil não estão afetadas e o livro continua sendo oferecido normalmente dentro do território nacional.

::Quais são suas dicas de viagem na Europa?::

07/06/2013

A Juliane Luz, uma leitora do Mineirinha escreveu perguntando sobre dicas de viagens em família com crianças. Acabou me inspirando para um novo post e para convidá-los a acrescentar nos comentários as suas dicas pessoais. Aqui vão as minhas:

Olha, eu já fui na Eurodisney com as crianças. Legal também é o Legoland que fica pertinho de Ulm.

Quando viajo, faço pesquisas no booking.com e já reservei hotéis ótimos nesta página. Adorei também a nova experiência do camping, o Mobilheim é ótimo e pra crianças um camping é muito legal!

Eu olho os comentários das pessoas e faço pesquisas, dando mais importância aos comentários de famílias com crianças, como no meu caso.

Já consegui hotéis de 3 e 4 estrelas mais baratos do que hotéis mais simples, porque muito hotel bom oferece a pernoite grátis de duas crianças, se elas dividirem com os pais o mesmo quarto.

Adorei viajar com a AIDA! Faria uma outra viagem de navio pra qualquer lugar com a empresa! Nota 10!

Quanto a voos, eu procuro sem parar até achar o que quero. Olho preço, tipo de avião, nome da cia. aérea e a duração total dos voos além do número de conexões.

E com relação ao aluguel de carros, procure ofertas sem limite de km e com um motorista a mais incluído. Eu já viajei muito de trem, mas no momento as passagens estão muito caras, apesar de que até 6 anos as crianças viajam de graça na companhia de um adulto.

Geralmente invisto muito tempo nas pesquisas e acho que vale a peba comprar livros dando dicas sobre o destino ou baixo uma App pra fazer pesquisas.

E quais são suas dicas pessoais de viagem na Europa?

::Zwiebellook e o frio na Alemanha::

06/02/2012

Morando na Alemanha há quase 20 anos, naturalmente já me acostumei com o frio. Mas desde que cheguei aqui nunca tinha enfrentado tanto frio como agora! Ontem bati todos os meus recordes pessoais, tendo sentido 14°C abaixo de zero à 1h da madruga… Mas a sorte é que o tempo está seco, então não se sente tanto frio quanto como se o frio estivesse sendo combinado com alta umidade no ar, o que para minha alegria não era/é o caso…

Até agora, todos os anos em que o frio chegou a tanto extremo como agora, estava no Brasil e tive a sorte de não o sentir na pele. Este inverno vai ficar na minha memória! Já chegam a quase 300 o número de mortos em toda a Europa, geralmente pessoas que vivem nas ruas e morreram literalmente de frio. Esta semana iríamos receber uma estudante italiana aqui em casa, que ficou impossibilitada de viajar porque a Itália está enfrentando muita neve e frio também. Os prefeitos pediram que as pessoas ficassem em casa e as aulas foram suspensar por lá. O mesmo não acontece por aqui, todos vão para a escola e para o trabalho como se nada tivesse acontecido. A única dependência fica sendo a dos meios de locomoção, que por um motivo ou outro podem fazer greve e nos deixar na mão. Todos os dias comentam nos noticiários de rádio que várias pessoas não conseguem usar seus carros porque eles os deixam na mão devido às baixas temperaturas. Por sorte, isso não me aconteceu – pelo menos ainda não! Viva o “Tudo Azul” (apelido do meu carrinho)!!!

Minhas técnicas pra enfrentar o frio são simples, mas eficazes: o frio sempre nos pega nas extremidades, então é importante proteger bem os pés, as mãos, o pescoço e a cabeça. O sapato é peça primordial pra quem quer ter paz no inverno, pois não dá pra ser feliz com os pés doendo de frio! Se a sola não for lisa, você ainda contribui pra não escorregar na neve. E em termos de roupas, é importante vestir a primeira camada de algodão e depois dela várias camadas à gosto, no melhor estilo Zwiebellook (estilo cebola) pra ir tirando as camadas – ou aumentando-as – conforme a necessidade. Uma boa jaqueta de inverno (de preferência com capuz) completa a indumentária. E como diz minha sogra: “Não há tempo ruim, só há pessoas vestidas com a roupa errada”.

Boa semana pra todos!

::Ai se eu te pego – Michel Teló::

14/01/2012

Até agora parece que sou umas das poucas brasileiras aqui na Alemanha que gosta da música brasileira que está fazendo o maior sucesso nas rádios locais, a “Ai se eu te pego” do Michel Teló.

Eu gosto porque é super Brasil, tem uma sanfoninha boa, a voz do cantor é ótima e ela transmite animação e alegria de viver, além do que combina com uma boa praia! E o Teló deve seu sucesso na Europa, pelo que parece, ao Cristiano Ronaldo, que comemorou um gol fazendo os gestos da música.

E da última vez que estava no Brasil a música dele que fazia sucesso era “Fujidinha”. Pra quem ainda por ventura não a conheça, aí abaixo vai o vídeo dela também.

A única sugestão que teria pro cantor é que pare de tentar cantar suas músicas traduzidas em outros idiomas, pois elas perdem todo o seu charme e as traduções ficam péssimas, além do que o cantor geralmente se saí melhor cantando músicas na sua língua natal! Aqui na Alemanha é super comum tocar música em francês, italiano, espanhol… e por que não em português?!? A maioria das músicas em inglês que tocam nas rádios também não são compreendidas pela maioria mas o que mais importa é o ritmo e o sentimento que a música passa. A música do Teló passa de qualquer maneira um gostinho de festa, de quero mais e de alegria pros gringos. Então ela está de bom tamanho em português mesmo, né?

Um ótimo final de semana pra todos!

::03/12 – Calendário de advento da Mineirinha::

05/12/2011

Hoje apresento algumas fotos e papéis de parede para o PC, dentre outros com motivos natalinos, que podem ser baixados de graça nesta página.

::Danza Kuduro – Vem dançar Kuduro!::

20/09/2011

Insatisfeita com a letra que encontrei na internet desta coqueluche do momento, que pelo jeito vem da Angola e que não pára de tocar nas rádios de toda a Europa, resolvi dar uma melhoradinha na letra da música do Kuduro. Ei-la! Se acharem ainda algo que porventura ainda não esteja correto, é só adicionar no comentário, ok?

Vamos dançar? 😀

Danza Kuduro – Don Omar & Lucenzo

A&X
El Orfanato
Danza Kuduroooo
Plo plo plo plo…
Lucenzo
El Rey

(Refrão 1)
Las manos arriba, cintura sola
Dá media vuelta, danza kuduro
No te canses ahora que esto sólo empieza
Mueve la cabeza, danza kuduro

(Refrão 1)

Quien puede domar la fuerza del mal
Que se mete por tus venas
Lo caliente del sol que se te metió
Y no te deja quieta, nena
Quien puede parar eso que al bailar
Descontrola tus caderas
(Sexy)
Y ese fuego que quema por dentro
Y lento, te convierte en fiera

(Refrão 2)
Con las manos arriba, cintura sola
Da media vuelta y sacude duro
No te quites ahora que esto sólo empieza
Mueve la cabeza y sacude duro
(Lucenzoooo)

(Estrofe 1)
Balança que é uma loucura
Morena vem ao meu lado
Ninguém vai ficar parado
Quero ver mexe kuduro
Balança que é uma loucura
Morena vem ao meu lado
Ninguém vai ficar parado oh
Oi oi oi, oi oi oi
É para quebrar kuduro, vamos dançar kuduro
Oi oi oi, oi oi oi
Seja morena ou loira, vem balançar kuduro
Oi oi oi

(Refrão 1 – 2x)
(Estrofe 1)
El Orfanato!
(Refrão 1 – 2x)
Vai vai vai vai vai…

O cantor, Don Omar, de Porto Rico, relançou a música em 2011, metade em espanhol e metade em português, como parte da trilha-sonora do filme “Fast and Furious 5” no ritmo do Regeaton, que é uma mistura de Reggae, Dancehall, Hip-Hop, Merengue, Hip Hop, ritmos latino-americanos e música eletrônica. O Kuduro também é um ritmo músical eletrônico cuja origem vem da Angola. Que mistura boa! E o Lucenzo é um rapper francês, cujo nome na realidade é Filipe Oliveira, de origem portuguesa, que lançou a música em 2010, só em português, com o rapper americano Big Ali:


%d blogueiros gostam disto: