Anúncios

Posts Tagged ‘emprego’

::Saiu um novo livro da Mineirinha! Ou o inverso de: como se diz “enrolação” em alemão?::

10/10/2017

Para falar a verdade, eu tinha o projeto de escrever um novo livro já há muito tempo, mas fui – quase – vencida pela famosa enrolação, a em alemão tão famosa, conhecida e respeitada “Aufschieberitis” (vem do verbo “aufschieben”, que significa adiar, diferir, enfim para os mais entendidos e numa boa gíria brasileira: enrolar).

Nós, mulheres, temos 1.001 coisas na cabeça e para nós é muuuuuito fácil fazer de “b” a “z” quando na realidade sabemos claramente que deveríamos estar investindo naquele sonho importante, o “a”. Dizem que se algo nos dá muito medo, é exatamente naquilo que temos que investir, pois medos costumam esconder nossos maiores sonhos! E olha que tem bastante verdade nisso, viu?

Enfrentando meus medos de inúmeras coisas como escritora, mulher, mãe, profissional e expatriada, virava e mexia eu pensava de novo no projeto engavetado, que estava quase pronto… Comentei sobre ele com uma amiga escritora, a Isa Magalhães, e ela foi bem categórica: “lançe-o”. Mas eu sabia que não iria ser tão fácil assim…

Deixando de lado no momento algumas razões centrais da inércia temporária que explico no finalzinho do livro, e falando agora um pouco mais a nível geral, o ato de escrever para mim tem muita ligação com sentimentos. Tem muito de “timing“, de você um dia levantar da cama e afirmar: “hoje é o dia! ” E para mim, para minha satisfação pessoal e, espero, também dos meus leitores, foi no último domingo, 08/10/17, que consegui mesmo colocar a mão na massa de manhã até à noite e o novo livro saiu do forno!

°°°

Sobre o livro:

Este livro é para mulheres, principalmente aquelas em busca delas mesmas e de uma ocupação profissional que faça a diferença em suas vidas.

Simples, concisa, de leitura rápida, mas intensa, o objetivo da obra é que a leitora faça um mergulho profundo dentro de si mesma, voltando à superfície com reflexões importantes para sua vida.

A ideia do livro surgiu da experiência de expatriada da autora, que já acompanhou vários casos de mulheres que tiveram que se reinventar profissionalmente no exterior. A autora espera que possa contribuir na caminhada dessas mulheres para se tornarem quem são de verdade.

°°°

Talvez alguém possa estar se perguntando por que estou sendo tão sincera ao anunciar que meu novo livro demorou pra sair,  muito mais do que eu esperava… É bem simples: minha intenção é motivacional, uma mensagem direta para todos aquel@s que, como eu, já tinham se acostumado com um projeto inacabado.

Uma pergunta direta: você tem um sonho que está bem pertinho do seu coração, que você sabe exatamente qual é, mas tem até certo receio de pensar nele? Já chegou a se acostumar à ideia de deixá-lo inacabado?

Outra pergunta: como você se sente quando pensa nele?

Última pergunta (juro!): como você vai se sentir quando realizar o seu sonho?

Esses pensamentos não me davam paz quando meu projeto me vinha à cabeça…. Ficava decepcionada comigo mesma, depois ia procurar outra coisa para “tapar o buraco”, se é que você entende o que estou querendo dizer.

Dizem que há dois dias importantíssimos na sua vida: o dia em que você nasceu e o dia em que descobriu qual é sua missão nesse mundo. A minha está descrita no livro, e uma dica bem grande da direção que me guia fica no topo da minha página de consultoria Connex Consulting: sharing knowledge to help others to grow – dividindo conhecimento para ajudar outros a crescer. É isso aí, quando aqui não mais estiver, quero ter deixado uma marca no mundo de agregação, solidariedade, persistência, fé, ação, amor… e muito mais. E dei mais um passo em todas essas direções com esse novo projeto! Eu prefiro ser… essa borboleta-metamorfose ambulante!..

Espero que encontre no livro pensamentos e frases, além de muitas perguntas, que lhe levem firmemente a pensar em você mesmo, pois nesse mundo louco e interconectado estamos perdendo a capacidade de refletir sobre nós mesmos enquanto seres humanos e nos traduzir para o mundo externo. E por aí passam as pequenas e grandes alegrias do dia a dia e da nossa existência!

O livro está disponível no mundo inteiro na Amazon, mas em diferentes canais dependendo do país. NOTA IMPORTANTE: como a ideia do livro é de reflexão constante, ele recebeu o título “(Re)descobrindo Quem é Você”. Através da possibilidade da descoberta e da redescoberta, inventei de novo uma palavra dentro de uma palavra, como já tinha feito no primeiro lançamento, o “Mineirinha n’Alemanha”. Portanto,  ao procurar pelo livro na Amazon, lembre-se de adicionar os PARÊNTESIS na sua busca, ok?

Pra facilitar um pouco, abaixo alguns links:

E-book no Brasil * sem fotos pessoais, que aparentemente não puderam ser lidas pelo sistema

E-book na Alemanha * também sem fotos pessoais

Livro na Alemanha * com 9 fotos coloridas e pessoais, capa mais colorida ainda!

Ainda não tenho um canal de distribuição para a versão do livro no Brasil. Quando ele existir, aviso aqui.

Dependendo de onde você estiver no mundo, é mais fácil procurar pelo livro através do seu título, no campo de busca da Amazon, e assim você vai achar a oferta local, certo? Ele está disponível em 13 websites diferentes da Amazon, espalhados como vários canais de venda do Brasil ao Japão.

Estou bastante curiosa para receber comentários, ler e ouvir o que outras pessoas acharam depois da leitura do RQEV (isso, inventei também uma sigla para ele!). Vai lá e depois me conta, vai?!? Minha prima Lílian, que carinhosamente escreveu o prefácio do livro, já começa afirmando: “certamente, se este livro chegou até suas mãos, é porque você precisa dele! “

Anúncios

::Cartão azul UE (blue card): facilitando a entrada de estrangeiros universitários no mercado de trabalho da Alemanha::

01/08/2012

A partir de hoje profissionais de fora da UE (União Européia) com formação universitária, principalmente das áreas de Informática, Engenharia e Medicina, terão maiores chances para conseguir um emprego na Alemanha. Para tanto eles terão que conseguir aqui no país uma oferta de emprego que os garanta ganhar pelo menos um salário de cerca de 45 mil euros por ano e terão assim a possibilidade de obter um visto de permanência no país. No caso de cargos onde a mão de obra anda bastante escassa (p.ex. Informática e Tecnologia de Comunicação), o limite cai para um salário de cerca de 35 mil euros por ano. Também está sendo expandido o visto para estudantes estrangeiros que tiverem terminado seus estudos dentro da Alemanha: eles terão a partir de agora um visto de 18 meses para a busca de um emprego. Durante os estudos, terão o direito de trabalhar 120 dias ou 240 dias em meio-período. O visto do cartão azul UE será válido por até 4 anos e perderá sua validade se o estrangeiro perder seu emprego ou tiver necessidade de ajuda social do governo. Se o contrato de trabalho continuar válido depois de 3 anos, será possível conseguir um visto de permanência com maior abrangência. Se o estrangeiro apresentar conhecimento de alemão de pelo menos nível B1, este limite cai para 2 anos. É importante ressaltar que este cartão também é válido para outros países da UE. É possível conseguir um visto de 6 meses para a busca de emprego, mesmo antes da oferta concreta, se a pessoa puder provar que poderá manter-se aqui durante o período acordado com as autoridades.

Na prática, a chance maior é para quem fala alemão razoavelmente bem, tem uma formação universitária em Ciências Exatas (aqui denominada MINT – Mathematik, Informatik, Naturwissenschaften, Technik) e tem uma qualificação muito procurada por aqui no momento, como p.ex. Coordenadores Sênior de Projetos SAP / CRM com excelente conhecimento de ABAP e JAVA.

Fonte: Diversas da mídia alemã, dentre elas Wikipedia e MIGAZIN, artigo de 01.08.12.

::Série de vídeos sobre a geração de 30 anos na Alemanha::

15/01/2011

Achei também na página da “Der Spiegel” uma série de vídeos que mostra vários alemães na faixa de 30 anos e mostra como eles são, o que pensam, o que os diferencia da vida dos pais, quais são seus medos com relação ao futuro.

Dentre os entrevistados, as mulheres entrevistadas sao bastante diversificadas e dão uma boa orientação quanto a como vive uma mulher jovem na Alemanha atual. Em geral, hoje em dia, elas querem ter sucesso na profissão e construir uma família, mas sentem-se divididas entre tantas responsabilidades, muitas vezes conflitantes. Os filhos acabam chegando bem mais tarde, muito depois dos 30, principalmente porque elas querem alcançar muito antes de se tornarem mães e porque nem toda cidade tem um apoio bom para as famílias, por exemplo com creches e escolas de período integral.

Os jovens vivem bem mais livres, sao mais abertos, aceitam melhor as mudanças e sabem que a vida nao será como a dos pais, que aprenderam uma profissão e ficaram nela, muitas vezes até na mesma empresa, até a aposentadoria. A vida globalizada de hoje exige muita capacidade de adaptação, flexibilidade para acompanhar as mudanças rasantes, nao só tecnológicas, e uma abertura para o futuro, que muitas vezes não vai ser tal como planejado.

::Acordei::

15/11/2010

Hoje foi meu 1° dia de trabalho depois de um tempo trabalhando só por conta própria e ajudando o Matthias na loja. O dia já começou bem, pois entrei na empresa em companhia de outro funcionário que também começou hoje como eu. A empresa vai bem e está criando empregos para muitas pessoas na região. Tomei café da manhã com a menina que vou substituir, por sinal muito simpática. Apesar do horário do almoço ser até 13 horas, só fomos notar que não tínhamos ido comer às 13:30 horas, quando minha dor de cabeça resolveu avisar que eu deveria comer alguma coisa… A empresa tem um cantina. Ai que bom não ter que me preocupar com a organização de comida todo dia! Durante o almoço ela me ofereceu o “du” – sinal de respeito e consideração, ainda mais no 1° dia. Bom sinal… Fizemos de tudo um pouco: uma entrevista, duas visitas pelos departamentos da empresa, tive uma ideia geral do que me espera, dos projetos em aberto, etc. e tal. Achei um ex-colega da minha empresa anterior trabalhando lá, ao lado do meu escritório! Fiquei toda feliz com isso, e ele ganhou um abraço meu – ainda mais por ter dito à menina que me contratou que ele ficou feliz e aliviado por terem se decidido por mim. Volto novamente ao cargo de diretora de recursos humanos numa empresa de médio porte alemã e estou feliz por este ano cheio de projetos intensos e diversos. Durante minha procura pessoal por um novo emprego, notei que não está mesmo fácil conseguir um emprego na Alemanha na atualidade, ainda mais bem pago. Isso não deixa de ser um paradoxo, pois ao mesmo tempo que a economia se aqueceu e as empresas têm muitos pedidos em aberto (a empresa onde trabalho já está com pedidos em aberto que ocupam a produção até o final de 2011), os salários não acompanharam esta tendência e caíram, principalmente na área administrativa. O mesmo não pode ser notado para a área técnica e de engenharia, que continua ganhando com a falta de especialistas no país. A ironia ficou sendo minha 2a. entrevista na empresa, que aconteceu exatamente no meio daquela discussão sobre estrangeiros na Alemanha, quando fui perguntada se apresento algum ponto positivo para o cargo exatamente por ser estrangeira. Logicamente vieram à minha cabeça os pontos negativos que todos na minha situação de estrangeira citariam num momento desses, mas disse somente que acredito conhecer vários tipos de pessoas e posições quanto à vida e ao trabalho, e que acredito ser capaz de intermediar neste sentido, por ser uma pessoa empática. O dono da empresa me disse que acredita que eu ganho por ter uma visão internacional, que não pode ser adquirida p.ex. por um alemão que nunca saiu do país e viveu outra realidade. Admirei sua opinião, ele disse até na entrevista que eu era sua preferida dentre os candidatos para o cargo, mas eu como boa mineira esperei quieta, aguardando a decisão final da empresa. Mas aconteceu que quando a empresa me deu o “ok” final, inesperadamente, tinha duas propostas de emprego numa mesma semana e passei por horas indescritíveis de dores acentuadas de estômago até tomar uma decisão final. Estou feliz por ter aceitado este desafio, e ainda mais por estar trabalhando perto de casa. Depois de pegar o Daniel na creche, cheguei em casa cansada, ainda com dor de cabeça, mas feliz comigo mesma. No jantar, eu contava as novidades do novo emprego, enquanto o Matthias contava como foi seu dia na XGames, a Taísa comentava da escola e o Daniel fazia bagunça na mesa. Fiquei feliz pelo final de um dia normal, cheio de acontecimentos. Depois do jantar acabei dormindo de cansaço e só fui acordar agora, ao som do Guitar Hero 🙂 Agora p.ex. o Matthias está tocando Santana (Magic Woman) na guitarra. Acordei de bem comigo mesma, e isso é bom, muito bom.

::Ajuda na procura de um emprego::

14/10/2009

Pra quem sabe inglês e está procurando um emprego, recomendo este artigo aqui do blog “JCSI – Job & Career Search Insights“, que por sua vez me foi recomendado no LinkedIn. Ele ensina como criar um time “A” de procura de emprego pra te impulsionar sempre pra frente e não deixar que você se desanime, mesmo nos momentos mais difíceis. Boa sorte!

::Dicas para entrevista pessoal::

17/07/2008

Começando pela parte externa: o traje a ser escolhido deve ser tipo esporte fino. Sapatos limpos, não carregar em maquiagem, acessórios, etc. Levar para a entrevista somente o estritamente necessário (uma pasta com um caderno de anotações, talvez com alguns pontos como lembrança para suas perguntas, uma caneta, seu currículo, os diplomas e certificados originais). Ir à empresa antes do dia da entrevista para ter certeza da localização, de quanto tempo demora pra chegar lá, etc. Se informar ao máximo de antemão na homepage da empresa e se ler sobre ela na internet. Ideal seria até encontrar pessoas que já trabalham na empresa, trocar idéias e pedir informações.

Ser pontual para uma entrevista na Alemanha não é chegar no horário: é chegar antes do horário! Portanto, chegue 10-15 minutos antes do horário combinado. Se chegar cedo demais, fique no carro esperando ou leve algo pra ler na recepção na empresa. Super importante: saber dominar o nervosismo, lembrando-se de que as pessoas que lhe vão entrevistar são de carne e osso. Lembre-se de que você está ali para vender o seu peixe e devo portanto fazer o melhor marketing pessoal que você puder. Imagine que os entrevistadores têm uma balança nas mãos e você quer que eles se despeçam com o máximo de pontos positivos com respeito à sua pessoa. Eles estão ali para separar o “joio do trigo”.

Se te oferecerem algo para beber, aceite. Demonstre interesse e que se informou sobre a empresa. Ouça com atenção. Mostre seus documentos só se pedirem. Lembre-se que as pessoas irão também analisar sua pessoa a partir das perguntas que você colocar: saiba fazer perguntas inteligentes, que demonstram que você pensa sistematicamente, que tem conhecimento da matéria, etc. E as primeiras perguntas serão também um sinal para o entrevistador, pois elas comumente são as mais importantes na cabeça da pessoa. Leia antes sobre as perguntas mais comuns de uma entrevista (aqui alguns bons exemplos) e tenha preparadas algumas respostas, mas não perca sua naturalidade. Se for perguntado por pontos fracos, mencione um que também é positivo, se olhado sobre outro ângulo. Não perca sua naturalidade! Tente entender o que esperam de você, como é a cultura da empresa, quais são as características do grupo e qual é a oferta que te está sendo oferecida num todo. O seu objetivo é fazer com que os olhos do entrevistador “brilhem” na sua direção.

Pode ser que você vá fazer duas ou três entrevistas na mesma empresa até receber a oferta de um contrato. Desde o princípio é bom que você tenha uma idéia de quanto quer ganhar, preferencialmente por ano. A razão é que cada empresa calcula de outra forma, e se você citar o valor anual, este será “traduzido” nos termos da empresa em questão. A resposta quanto à grana é importante porque se você pedir muito pouco, não se dá valor. Se pedir muito acima do que pretendem pagar, sai do páreo e perde para a concorrência. Na internet há várias formas de pesquisar quanto se paga para um emprego x numa determinada região.

Acima de tudo: seja sincera com você e com os outros. Mantenha as antenas ligadas, observe tudo. Tente analisar se a empresa, as pessoas e o ambiente combinariam com você. Afinal de contas, passamos grande parte da nossa vida no trabalho! Dê-se o devido valor, acredite em você e não mencione nada que não seja visto sob um bom prisma ou analisado de forma positiva. Não mencione pontos negativos se não for ativamente questionado nesta direção.

Importante: se você receber seus documentos de volta, ligue para a empresa e peça um retorno da entrevista, do que você poderia ter feito melhor, o que faltou para a decisão ter caído na sua pessoa. Ninguém nasce sabendo tudo ou entendo sinais, muito menos de uma cultura estranha à sua, portanto a tendência é que você melhore de uma entrevista para a outra. Boa sorte!

“O caminho mais curto para o sucesso é sempre tentar mais uma vez, de uma forma diferente.”

Mais algumas dicas aqui.

::Como conseguir um emprego na Alemanha?::

15/07/2008

Eu não sei se já comentei aqui, mas por obra do meu ex-chefe acabei caindo há 3 anos na atual posição, a de diretora de recursos humanos numa empresa de médio porte alemã. Acho que devo ser a única brasileira na Alemanha nesta função! No começo fui literalmente jogada de roupa e tudo numa água gelada, mas com o tempo fui vendo a oportunidade que Deus tinha colocado em minhas mãos através do meu ex-chefe, e fui me acostumando com a idéia, com o novo desafio. Hoje posso dizer que gosto do meu trabalho. Tenho a oportunidade de lidar e crescer com o ser humano. De fazer algo por ele, de dar e receber. E nesta troca boa, tenho um lugar onde me sinto útil, necessária, parte integrante de um time. E isso é bom.

Às vezes as pessoas me procuram perguntando como conseguir um emprego aqui na Alemanha. Para os que ainda não estão aqui é bem mais difícil, depende do emprego ser bem pago para justificar a concessão de um visto de trabalho. Mas muitos já estão aqui e já têm direito a trabalhar, e precisam portanto analisar suas reais chances no mercado de trabalho. Se julgar necessário, complete suas lacunas com um curso na área ou o estudo de um idioma. Mas o mais importante: mova-se! Muitas vezes você mesmo pode ser seu maior inimigo, inventando desculpas de porque não vai pode dar certo com você. Isso é normal, é humano. Mas deixemos isso tudo de lado: cada um pode e deve ter seu lugar ao sol, pois o sol brilha pra todos. E quanto mais brilhamos, melhor nos sentimos, e mais bem podemos fazer a pessoas à nossa volta e à sociedade em si.

Por isso o ponto fundamental é tirar o foco muitas vezes voltado para outras pessoas e centrá-lo só em você mesmo: Quem é você? Do que você gosta de fazer? O que te dá prazer no dia-a-dia? O que queria ser quando ficasse “grande”? O que você faz bem e com pouco esforço? Quais são os últimos acontecimentos que te deixaram feliz e orgulhoso de si próprio? O caminho do auto-conhecimento é o caminho certo para achar um emprego que combine com você e com sua vida atual.

O próximo passo será aprender como se candidatar a uma vaga numa empresa aqui na Alemanha. Prepare seus documentos do jeito que os alemães esperam recebê-lo: com uma carta convidativa com relação à sua pessoa, um currículo em forma de tabela, suscinto e de no máximo duas páginas, contando somente o necessário e o essencial, tente reunir cartas de recomendação de pessoas que possam escrever positivamente sobre você, e não se esqueça de caprichar na foto, na apresentação da papelada e de copiar seus diplomas, mesmo que ainda não tenham sido reconhecidos aqui (claro que dependendo da profissão, sem reconhecimento, não será possível trabalhar na sua área, eu sei). Você pode também preparar tudo isso em um arquivo PDF, se ficar grande pode comprimi-lo, e assim economizar sempre que a empresa permitir a candidatura a uma vaga por e-mail.

Antes de começar a se candidatar, é importante também definir pra você o que é importante no momento: Quantas horas quer trabalhar no máximo? Aqui há vários modelos de trabalho integral/parcial. O que tem a oferecer? Em que tipo de empresa gostaria de trabalhar? De grande ou de pequeno porte? Em grupo ou sozinho? Como seria a empresa ideal? A quantos quilômetros da sua casa no máximo? Quem vai tomar conta das crianças enquanto você for trabalhar? Como fará para resolver eventualidades, p.ex. doença do filho, etc.? Faça o máximo de perguntas internas, encontre para si seu trabalho atual “ideal”.

Depois começa a busca em si: não se limite a simplesmente enviar currículos para empresas que ofereçam vagas no jornal ou na internet. Seja criativo e diferente dos demais: faça uma pesquisa das empresas na sua região que lhe interessam, também com a ajuda da “Agentur für Arbeit”, e envie seus documentos com uma carta se apresentando e mostrando suas qualidades. Isso seria o que aqui chamam de “Initiativ-Bewerbung”. Se no anúncio constar um número de telefone, ligue para o responsável da área. Demonstre interesse ao telefone. Mencione esse contato telefônico na sua carta de apresentação.

Aqui há várias dicas muito boas sobre a parte da papelada. Ultima dica: coloque no cabeçalho da sua carta, sempre bem visível, todas as maneiras através das quais pode ser contactado e irá retornar o contato (número de telefone, de celular e e-mail). O próximo passo será a entrevista pessoal. Ok, amanhã eu continuo com a segunda parte deste artigo…

.
°°°
01.08.12 – Veja também uma nota atual sobre o cartão azul UE e oportunidade de headhunting agenciado por mim neste post.


%d blogueiros gostam disto: