Anúncios

Posts Tagged ‘Dago Schelin’

::O que é melhor no Brasil?::

17/11/2017

Dando uma pesquisada por determinadas palavras no emaranhado de posts do meu blog, achei o que queria, e por acaso li esse post, que por sua vez me levou ao blog do Dago e da Cíntia, que me levou a seus comentários. Deu pra vc se reconhecer quando queria só olhar uma coisinha bem rapidinho e acabou caindo de novo (confesse, isso te acontece muitas vezes…) no esquema suga-tempo da internet?

Mas a parte boa da história foi que nos comentários achei essa pérola bem humorada:


What’s better in Brasil? Lots of things:
– Caipirinha
– Girls wear less clothes 😛
– no matter how I speak: important is to be understood
– People don’t dislike chimarrão (strong green tea)
– People share more than divide (a group divides prices for a meal by count of persons) –> less democratic but nice social gesture
– Girls wear less clothes
– Traveling is cheap, at least by 14h bus ride for us guys
– it rains less than 1/2 a year continuosly
– aligators, snakes and monkeys in buses (serious! promise!) 😉

And last: girls wear less clothes.

…que o Dago respondeu à altura, comparando com a Alemanha:

Girls wear less clothes…yes, mainly at the beach. But let me say: in the short time I was in Germany I saw several naked people near a lake, or sun-bathing at a river shore. Never have I seen that here 🙂

Se alguém precisar de tradução, é só avisar que faço mais tarde. Agora ainda tô morta da semana, praticamente caindo de sono…

::Rosas Heft – vc já virou fã?::

07/06/2015

Tem muito brasileiro sendo agente de cultura por aqui em terras germânicas, um deles é o Dago Schelin, cineasta, pai, cantor, compositor e outras coisas mais… Ele está prestes a iniciar uma campanha pra arrecadar fundos para o seu CD intitulado Rosas Heft. São músicas alemãs que eram cantadas na infância dele no Brasil e que ele agora está regravando na Alemanha com ritmos brasileiros, sambinha, bossa nova…. Tá ficando lindo! Vamos contribuir e ajudar neste projeto verdadeiramente binacional? Vire fã do projeto aqui e prepare-se pra ajudar (e, de quebra, ganhar uns presentinhos). Já tô doida pra ouvir o CD todo!… 🙂

::Dago & Rosas Heft::

22/03/2015


O Dago Schelin, leitor da Mineirinha, sobre quem falei aqui e aqui, é um brasilemão. Seus antepassados emigraram da Alemanha para o Brasil nos anos 1920. E ele fez o caminho inverso, morando desde 2013 em Marburg e, com o relembrar da língua alemã, voltam também à lembrança as canções alemãs da infância. São canções que a mãe e a avó delem cantavam. Algumas são conhecidas como Guten Abend, Gute Nacht de Brahms. Boa parte das músicas já nem são mais lembradas pelo povo alemão. Mas foram guardadas, como numa cápsula do tempo, por gerações de imigrantes no Brasil. Ele as misturou com Bossa Nova e está divulgando um projeto verdadeiramente binacional Brasil-Alemanha! Segundo o Dago, a previsão do lançamento do CD é junho. As gravações estão sendo feitas na Alemanha e no Brasil (o samba na Alemanha e o clássico no Brasil) 🙂

Leia mais sobre o projeto do Dago aqui, dê um like aqui na página do Facebook do projeto dele. O resgate cultural, ainda mais praticado por um brasiemão como ele, merece todo o nosso apoio! Em tempo: aqui tem mais um outro projeto do Dago, o Living Room.

Aqui uma pequena amostra do Rosas Heft, comparado com a música tradicionalmente conhecida aqui na Alemanha:

::Lovesick – filme brasileiro/alemão é nomeado para o festival de Cannes::

05/01/2015


Este menino que vai longe é um leitor do Mineirinha, o Dago Schelin. Quando ele comprou meu livro, disse que lia à noite com sua esposa, e lia devagar pra evitar que acabasse logo!… Depois que a leitura do meu livro chegou ao fim, ganhei dele de presente dois CDs com músicas feitas por ele. Fiquei apaixonada! Outro dia eu tinha um tanto de brinquedo do Daniel pra passar pra frente… e quem levou foi a Bella, a filha dele. Tantas vidas que eu acompanho de longe, meio-perto ou de pertinho, tantas amizades que fiz a partir do livro. Um grande presente, o presente mais inesperado que uma produção independente poderia ter dado ao seu autor. Será que ainda vou ter o prazer de conhecê-lo, e sua família, pessoalmente? E que coelho será que vai sair do mato do Dago nos próximos tempos?!? 😉 Páginas ainda não escritas… nem na minha vida, nem na dele…

E fico toda orgulhosa de ver os leitores, e alguns que acabam fazendo consultoria comigo, fazendo sucesso por aqui! Mas o Dago não está fazendo sucesso por aqui… o sucesso dele é internacional, Brasil, Alemanha, Itália, Romênia, Malta, França… Agora em Cannes com o curta metragem “Lovesick”. E ele merece. Prestem atenção no que digo: este menino vai longe! Guardem este nome: Dago Schelin, músico e diretor de cinema. E vejam alguns de seus trabalhos, conheçam um pouco desse cara cheio de talento e do que estão falando sobre ele aqui, e aqui, e aqui, e aqui… Indico a leitura da entrevista feita com ele aqui, onde ele toca no assunto do chamado de Deus, de criar, de seguir sua voz interior e fazer outros brilharem através da sua lente. Por “coincidência”, o texto que já tinha escrito sobre ele anteriormente aqui no blog foi intitulado “Da arte de acreditarmos em nós mesmos“. Sucesso, Dago! Estou muito orgulhosa de você! 🙂

::Da arte de acreditarmos em nós mesmos::

07/08/2009

Passei uma tarde super gostosa com amigas brasileiras que moram aqui pela região. Foi a despedida da minha amiga mineirinha, a Marcela, que está indo passar 6 meses em Curitiba. Desde já, boa viagem querida!

Conversamos sobre mil e uma coisas e na realidade um papo puxa o outro, ainda mais em companhia agradável, e com isso foi difícil chegar a um fim! Mas as conversas foram todas super prazerosas. Que sorte ter um grupinho tão pra cima e tão por perto!

Um dos assuntos que conversamos mais a fundo, bem no finalzinho da tarde, foi a questão do acreditar em nós como pessoas e profissionais. Sempre estamos buscando no outro a confirmação de que aquilo que fazemos ou produzimos é bom. Temos excelentes ideias, mas nem todas são colocadas em prática. Ou de tanto pensarmos, acabamos por não colocar nada ou quase em nada em ação. Talvez pelo medo do retorno do outro, pelo medo do estranho, pelo receio de deixar a posição cômoda e partir para novos portos. Nunca achamos que já estamos prontos para novas trilhas, parece que ainda fica faltando algo, um novo certificado, uma confirmação externa de que “sim, somos bons“. Ainda mais quando moramos no exterior essa pressão de querer receber esse tipo de retorno de fora, do outro, é ainda muito maior. E é aí que mora o perigo. É bom receber retornos positivos, na realidade é uma delícia, mas acima de tudo temos que satisfazer a nós mesmos, temos que gostar do que fazemos. Temos que conseguir achar uma área onde tenhamos orgulho do que produzimos. Isso faz bem. O melhor amor para com o outro partirá de um amor egocêntrico, aquele voltado para nós mesmos, pois quanto mais conseguimos nos amar e nos dar valor, mais seremos capazes de amar (e de respeitar) outras pessoas.

Na realidade todos somos bons assim como somos. Hoje, neste momento. A vida é um caminho e quem não começa a seguir sua trilha, não colherá os frutos espalhados pelo caminho. Na realidade nunca estaremos “prontos“, estamos sempre em um processo de transformação contínua. Somos seres individuais, únicos, especiais, abençoados por Deus. Nem melhores, nem piores do que ninguém. Quanto mais espalharmos luz pelo mundo e para todos ao nosso redor, mais luz refletirá para nós mesmos. As trocas serão (são) positivas e boas. Espalhar luz tem super a haver com fazer aquilo que gostamos, aquilo que pra nós é fácil, que não dá trabalho, que dá prazer. É fácil pra nós, mas para outros não é, e portanto é “nosso“. Penso muito nisso na minha busca incessante de saber quem sou eu e na procura de descobrir a que fim vim parar neste mundo.

O certo é que nascemos para dar, para trocar, para interagir. No meio da semana passada fui surpresa por uma correspondência do Dago, que me presenteou com dois CDs de produção própria, um pra adultos, outro pra crianças de todas as idades. E qual não foi a minha surpresa ao colocar o primeiro CD pra tocar, o “À Espera“, completamente feito pelo Dago: letras das músicas, arranjos, voz, violão e guitarra. As músicas são lindas, só o título já é motivo de inspiração. Esse CD nos acompanhou na viagem para Basel ida e volta!) 😉 Meu marido, que ama tanto música como eu, gostou muito do trabalho dele também e notou que o estilo do Dago se parece com o do Zeca Baleiro, eu penso que também um pouco com o Skank nas músicas mais badaladas. Enfim, é uma delícia “esperar“ com ele, que compõe e canta em português e em inglês. O amigo dele, Claudio Oliver, apresenta a obra dizendo, dentre outras coisas, o seguinte:

“Dago nos convida a não esperar somente, mas a nos sentarmos com ele enquanto esperamos. Seja à espera da resposta, do sentido ou do amor. E enquanto a resposta não vem, nestas canções ele nos chama a aproveitar o tempo da espera para que seja um tempo de vida, em que se curte a vida curta que se tem“.

Apresento aqui a minha música predileta do CD dele, inspiração nota 1000, estilo de música que gosto, mensagem positiva, um pacote de surpresas, além de uma voz linda e um inglês impecável:

Give it Away – Dago Schelin

All the goodness you have got
All the love you have received
Give it away

And the knowledge you have gained
And the money you have made
Give it away

A time will come when this is gone
And all that we now know
So lay it down, cause nothing’s yours until you let it go

And the talent you possess
Ant the time that you have left
Give it away

And the song that you will sing
And the life that you will live
Give it away

Uma tentativa de tradução da letra:

Dê de presente – Dago Schelin

Toda a sua bondade
Todo o amor que tiver recebido
Dê de presente

E o conhecimento que você tiver alcançado
E o dinheiro que tiver ganho
Dê de presente

Uma hora irá chegar em que tudo isso já terá passado
E tudo o que sabemos agora
Então deixe isso, pois nada é seu até que você passe pra frente

E o talento que você possui
E o tempo que ainda lhe sobra
Dê de presente

E a música que você irá cantar
E a vida que irá cantar
Dê de presente

Voz/violão: Dago Schelin
Baixo: Mateus Brandão
Acordeon: Alonso Figueroa

Pra quem gostou dessa primeira música, Dago, simpatizante do copyleft, lhes dá de presente todo o CD dele, que pode ser baixado gratuitamente na internet. Entre neste link e clique em “Download Link: A Espera.zip” ou também aqui, inclusive comentários do artista em cada música. Viel Spaß beim hören! (Bom divertimento ao ouvi-lo!).


%d blogueiros gostam disto: