Anúncios

Posts Tagged ‘Cinema’

::Lovesick – filme brasileiro/alemão é nomeado para o festival de Cannes::

05/01/2015


Este menino que vai longe é um leitor do Mineirinha, o Dago Schelin. Quando ele comprou meu livro, disse que lia à noite com sua esposa, e lia devagar pra evitar que acabasse logo!… Depois que a leitura do meu livro chegou ao fim, ganhei dele de presente dois CDs com músicas feitas por ele. Fiquei apaixonada! Outro dia eu tinha um tanto de brinquedo do Daniel pra passar pra frente… e quem levou foi a Bella, a filha dele. Tantas vidas que eu acompanho de longe, meio-perto ou de pertinho, tantas amizades que fiz a partir do livro. Um grande presente, o presente mais inesperado que uma produção independente poderia ter dado ao seu autor. Será que ainda vou ter o prazer de conhecê-lo, e sua família, pessoalmente? E que coelho será que vai sair do mato do Dago nos próximos tempos?!? 😉 Páginas ainda não escritas… nem na minha vida, nem na dele…

E fico toda orgulhosa de ver os leitores, e alguns que acabam fazendo consultoria comigo, fazendo sucesso por aqui! Mas o Dago não está fazendo sucesso por aqui… o sucesso dele é internacional, Brasil, Alemanha, Itália, Romênia, Malta, França… Agora em Cannes com o curta metragem “Lovesick”. E ele merece. Prestem atenção no que digo: este menino vai longe! Guardem este nome: Dago Schelin, músico e diretor de cinema. E vejam alguns de seus trabalhos, conheçam um pouco desse cara cheio de talento e do que estão falando sobre ele aqui, e aqui, e aqui, e aqui… Indico a leitura da entrevista feita com ele aqui, onde ele toca no assunto do chamado de Deus, de criar, de seguir sua voz interior e fazer outros brilharem através da sua lente. Por “coincidência”, o texto que já tinha escrito sobre ele anteriormente aqui no blog foi intitulado “Da arte de acreditarmos em nós mesmos“. Sucesso, Dago! Estou muito orgulhosa de você! 🙂

::Eta trem bom: entre 25-28/09 tem filme, livro e música brasileira em Constança!::

24/09/2009

A partir da sexta que vem, dia 25/09, há uma programação variada em Constança, como parte da “Semana Intercultural” (“Interkulturelle Woche“) da cidade. É um prato cheio para aqueles que curtem a cultura brasileira! Anotem:

– Dia 25/09:
20h: Filme “Schroeder liegt in Brasilien” no cinema Zebra com a presença do cineasta Zé do Rock.
Logo depois do filme: Curta apresentação do livro “Mineirinha n’Alemanha” e show do cantor mineiro Ivaldo Moreira, que estará apresentando seu trabalho pela Alemanha até 01/10 (show em Berlim).

– Dia 26/09:
11h: Grupo SeSamba
12h: Outra apresentação do Ivaldo Moreira no mercado das culturas “Agora” na “Kreuzlinger Str.” em Constança
22h15: “Schroeder liegt in Brasilien” no cinema Zebra

– Dia 28/09:
20h: “Schroeder liegt in Brasilien” no cinema Zebra

Conto com sua presença!

::Duas dicas de filmes: Der Vorleser & Good Will Hunting::

29/03/2009

Eu e a Ceci fomos na sexta ao cinema assistir o fime “Der Vorleser” (O Leitor). Para começar com o nome do filme, acho uma pena que não exista tradução em uma só palavra para o português como no caso do alemão para “aquele que lê para outra pessoa”. Aliás, só em termos de verbos envolvendo a leitura, o alemão realmente mostra sua exatidão:

lesen: ler

vorlesen: ler para outra pessoa

nachlesen: ler de novo

durchlesen: ler por completo

überlesen: ler e não entender uma parte

Mas voltando ao filme, ele é bonito por vários motivos: mostra uma história de amor que sobreviveu às diferenças, ao tempo e ao espaço. Mostra que a linguagem do amor independe daquilo que a sociedade define por “certo”. Por outro lado mostra o poder do preconceito dentro de um contexto histórico, tendo sido rodado no pós Guerra da Alemanha. Uma boa pedida!

Hoje vi na tevê com a família o filme “Good Will Hunting” (Gênio Indomável, de 1997) e gostei muito dele também. Este já é bom pra quem gosta de psicologia e do poder da mente humana. E pra quem gosta de “judô oral” como diz o Matthias, meu marido, que descreve assim pessoas que têm pleno domínio sobre o poder da palavra. Trata-se da estória de um garoto super dotado que aprende a duras penas a descobrir uma razão de ser de sua existência e a entender o que a escritora Susanna Tamaro já dizia há muito: “vá aonde seu coração mandar”. O filme lembra, por último, uma coisa maravilhosa: que amigo verdadeiro é aquele que nos questiona, que nos põe em dúvida. Válida lembrança!

::Eternamente romântica::

16/10/2008

Fui assistir ontem com amigas este filme água com açúcar (título em alemão “Das Lächeln der Sterne”, O sorriso das estrelas, com Richard Gere e Diane Lane):

No caminho para o cinema, fiquei sabendo que a Madonna e o Guy Ritchie vão se separar. Para falar a verdade, fiquei triste pelos dois. Como já dizia Erica Jong, feminista americana :

“O perfeito homem é aquele que vê o melhor de nós e que se agarra ao ideal da nossa pessoa, mesmo quando nós mesmas duvidamos dele. Seu amor é dirigido não somente àquela que somos, mas também àquela que poderemos vir a nos tornar. Com esta visão ele nos ajuda a encontrar o caminho para nosso verdadeiro Eu. Confiantes de nós, podemos então fazê-lo ainda mais forte, refletindo o melhor dele em nós mesmas. No passado eu era fascinada por tentar entender por que os relacionamentos chegam a um fim. Hoje eu acho muito mais interessante entender o que é capaz de manter um casamento. Um casamento que tem futuro está em processo de constante mudança. O homem perfeito muda a mulher perfeita. Os dois estão ligados pela aceitação de se deixarem ser mudados”.

::Love Vegas, visita da minha irmã, jornalismo e a busca do eu::

05/10/2008

Assisti pela segunda vez um filme DVD que a Taísa comprou, Love Vegas. Trata-se de uma história de amor onde duas pessoas se casam embriagadas em Las Vegas e ganham na mesma noite 3 milhões de dólares num cassino. Perante o juiz, são “condenadas” a viverem juntas por seis meses para testar a vida em casal, inclusive sessões de terapia de casal obrigatórias. O filme mostra o que é importante para que um amor dê certo: um pouco de loucura e encontrar uma pessoa onde você possa ser você mesma, sem ter que fazer esforço para agradar o outro.

Depois de um ano revi minha irmã Rê, que me visitou com seu marido Rô e o mais novo integrante da família, o Dominic, ou Mimi, que tem 3 meses de idade. Apesar do tempo não ter cooperado conosco, fizemos alguns programinhas e uma boa festinha com diversos coquetéis alcóolicos e não-alcóolicos e várias coisas gostosas pra comer, além da presença de amigos de várias nacionalidades (russo, austríaco, polonês, alemães e brasileiros). A festa mal tinha chegado ao fim e depois de poucas horas de sono já estava preparando um café-da-manhã, para que meus sogros ainda pudessem ver minha irmã. A casa ficou um pouco vazia desde que eles se foram, a visita mostrou mais uma vez uma das coisas mais importantes da vida: ter pessoas que prezamos ao nosso lado e passar bons momentos com elas.

Ontem de manhã vi, ao acordar, um documentário com reportagens sobre os fatos mais marcantes dos últimos 100 anos. Atrás de cada tragédia, a mesma conclusão: toda vez que o ser humano toma decisões egoístas, pensando no seu ego, ele põe pelo menos em risco a vida de muitas pessoas, se não as faz desaparecer de vez da face da Terra.

::Moro no Brasil::

18/04/2008

\

Descobri um filme-documentário tão bom sobre a música do Brasil, que é realmente imperdível! Ele se chama “Moro no Brasil”. Ele me fez pensar e refletir sobre mim mesma, mais do que um bocado:

1° – o filme foi feito por um finlandês, e eu nunca imaginei que um finlandês fosse mostrar alguma coisa nova sobre meu país e nossa música, mas pra mim ele mostrou muitíssima coisa nova, interessante, bonita e emocionante.
2° – quando alguém pergunta pra mim de onde venho, digo sempre que sou brasileira e estava certa disso. Na realidade tenho duas nacionalidades e daqui a 8 anos terei vivido metade da minha vida aqui e metade no Brasil, o que me fez ver que sou, eu também, a mistura ou sub-produto de duas culturas. Uma que conheci como menina e adolescente, e outra que conheci como adulta. O filme me fez lembrar que não paramos de conhecer o que já julgamos “nosso”.

Nota: O filme é praticamente todo em português com legendas para o idioma estrangeiro. Acho que um brasileiro não teria feito um filme sobre o tema tão autêntico, tão bonito, tão leve, tão informativo e tão gostoso de ver como o finlandês conseguiu fazer, e valorizando nossa cultura musical de um jeito tão expressivo. Parabéns e muitíssimo obrigada por este filme, Mika Kaurismäki!!!

::Tropa de Elite::

19/02/2008

“Tropa de Elite“ conquista o Urso de Ouro em Berlim. Vc já viu o filme? O que achou dele?

::Os últimos dias da Segunda Guerra Mundial em Berlim::

08/11/2004

Para quem se interessa por história e tem relativo sangue frio para assistir algo pesado mas ainda assim muito bem feito deveria ir ao cinema para assistir o filme que está passando sobre os últimos dias da Segunda Guerra em Berlim, chamado “Der Untergang“.

O filme relata muito do que se passou durante os últimos dias da Guerra em Berlim, quando a cidade foi tomada pelos russos. Enquanto muitos civilistas morriam de fome, de frio, bombas caiam e explodiam por todo o lado e muitos feridos tentavam se salvar em “hospitais” super-lotados, Hitler se mantinha debaixo da terra, ao lado de sua futura esposa Eva Braun, suas secretárias particulares e muitos comandantes de guerra, insistindo em não querer acreditar que a Guerra estava chegando ao fim e que ela a havia perdido.

Segundo Hitler, se a guerra estava perdida, todos os civilistas poderiam morrer e ele não deixaria que uma lágrima corresse por causa deles, pois eles não mereciam seu pesar. O filme mostra um Hitler muito nervoso, colérico, frio, louco, sem piedade, mas ao mesmo tempo em algumas situações ele consegue ser gentil com crianças ou pessoas próximas a ele. Este filme consegue mostrar tão bem como a figura de Hitler exercia absoluto domínio sobre as outras pessoas, como um ídolo, um Deus, mesmo sendo na realidade um demônio sem sentimentos.

Outra oportunidade de ler sobre os últimos dias da Guerra é através do livro de Antony Beevor ou visitando a página da Época, onde há um artigo da revista sobre a barbárie de Berlim. O filme não tocou nesse assunto, mas o livro conta que muitas mulheres entre 8-80 anos foram estupradas durante os últimos dias da Guerra em Berlim, como forma de repúdio pelo que os nazistas haviam feito antes na Rússia, ainda durante a Guerra.

No filme, uma das figuras principais é a secretária de Hitler, Traudl Junge. Ela consegue sobreviver às torturas dessa época e é entrevistada poucos anos antes de morrer, em 2002. Ela disse que não tinha conhecimento do que estava acontecendo exatamente acima da terra, ela não sabia que 6 milhões de judeus haviam sido mortos pelos nazistas. Ela disse que talvez ela pudesse ter se informado mais naquela época. E eu me perguntei se isso teria feito alguma diferença, pois ela não detinha poder, era uma secretária responsável por estenografia e datilografia e não ocupava nenhuma posição social que a permitisse ter tido a oportunidade de ajudar tantas pessoas quanto por exemplo o empresário Schindler, que conseguiu salvar muitos judeus dando trabalho a eles em sua empresa (do filme “A Lista de Schindler”).

Através do filme é possível entender realmente o que se passou nesse país há poucos anos atrás e entender que esse tema continua muito atual e continua sendo muito discutido, dentro das salas de aula e fora delas. Na Alemanha, não é raro encontrar documentários na televisão e muitíssimos livros que tratam sobre todas as fases das guerras e sobre o tempo do regime nazista.

Durante o filme, às vezes você se sente parte dos acontecimentos, de tão reais. No final do filme, saí do cinema pensando que muitas vezes me esqueço do fato de que muitos dos adultos e velhinhos de hoje aqui presenciaram as barbaridades de outrora.

Em alemão há duas palavras para monumento : “Denkmal” é o monumento que lembra algo que se passou e que não traz nada negativo consigo, enquanto “Mahnmal” é um monumento para algo que se passou e que não deve se repetir jamais. Assim, o filme é um verdadeiro “Mahnmal” para a história da humanidade.

Esta produção alemã mostra a verdade nua e crua dos tempos de guerra, e contribui para que a Alemanha e o mundo de hoje ocupem-se com um tema histórico mas ao mesmo tempo, infelizmente, tão atual. A humanidade avançou em tantos pontos, mas ainda não é capaz de viver em paz. Até quando?


%d blogueiros gostam disto: