Anúncios

Posts Tagged ‘amigos’

::O que é melhor no Brasil?::

17/11/2017

Dando uma pesquisada por determinadas palavras no emaranhado de posts do meu blog, achei o que queria, e por acaso li esse post, que por sua vez me levou ao blog do Dago e da Cíntia, que me levou a seus comentários. Deu pra vc se reconhecer quando queria só olhar uma coisinha bem rapidinho e acabou caindo de novo (confesse, isso te acontece muitas vezes…) no esquema suga-tempo da internet?

Mas a parte boa da história foi que nos comentários achei essa pérola bem humorada:


What’s better in Brasil? Lots of things:
– Caipirinha
– Girls wear less clothes 😛
– no matter how I speak: important is to be understood
– People don’t dislike chimarrão (strong green tea)
– People share more than divide (a group divides prices for a meal by count of persons) –> less democratic but nice social gesture
– Girls wear less clothes
– Traveling is cheap, at least by 14h bus ride for us guys
– it rains less than 1/2 a year continuosly
– aligators, snakes and monkeys in buses (serious! promise!) 😉

And last: girls wear less clothes.

…que o Dago respondeu à altura, comparando com a Alemanha:

Girls wear less clothes…yes, mainly at the beach. But let me say: in the short time I was in Germany I saw several naked people near a lake, or sun-bathing at a river shore. Never have I seen that here 🙂

Se alguém precisar de tradução, é só avisar que faço mais tarde. Agora ainda tô morta da semana, praticamente caindo de sono…

Anúncios

::Eterna dor de expatriado::

16/04/2016

Achei esse poema na internet, cujo título na realidade é “Me perdoem por estar tão longe”, mas tomei a liberdade de intitular este post como “Eterna dor de expatriado”, pois foi esse sentimento, nu e cru, que o poema me passou. E que acho que muitos vão sentir o mesmo…

Poema de Ruth Manus

saudade1-1024x1024

Me perdoem por estar tão longe

E por tentar estar presente com tão pouco. 

Venho pedir que me desculpem

Por todos os dias em que eu não estou

Por todos aniversário aos quais eu não vou

Pelas tantas vezes em que a ligação falhou

Por ter que ser tão menos do que realmente sou

 

Venho dizer o quanto sinto

Por todos os almoços em que meu lugar sobra

Por ainda não ter visitado a casa nova

Por não ter ajudado com as coisas da obra

Por tantas vezes colocar o amor de vocês à prova

 

Eu juro que queria

Queria ter ajudado a sarar todas as doenças

Queria poder ser verdadeira presença

Queria segurar aquelas sacolas imensas

Queria fazer massagem nas suas costas tão tensas

 

Venho me desculpar

Por todos os copos de água que eu não busquei

Por toda louça suja que eu não lavei

Por todas as piadas que eu não contei

Por todas as dores que eu não abracei

 

Eu juro que queria

Segurar os cabelos de quem vomitava

Segurar o elevador para quem demorava

Segurar a onda de quem tanto chorava

Segurar as mãos sem precisar dizer nada

 

Me perdoem

Por ser uma imagem na tela do celular

Por ser um áudio que eu nunca termino de gravar

Por ser uma história que nunca dá tempo de contar

Por ser uma ausência com a qual vocês aprenderam a lidar

 

Me desculpem

Pelos tropeços dos quais não ri

Pelos pensamentos que eu não li

Me desculpem

Por saber o quanto minha falta dói por aí

E por não saber fingir

Que ela não dói

Igualmente

Sempre

E tanto

Aqui.

 

::Nem um pouquinho cansada de viajar::

17/06/2014

Saí há quase duas semanas atrás do lago, passei por Heidelberg, ao longo do Reno, vistei amigos em Gütersloh, vi a parte histórica de Rheda-Wiedenbrück, visitei amigos em Hildesheim, desci para Fulda, Würzburg, estou visitando minha irmã e família em Munique e o caminho de volta vai ser por Allgäu, Lindau e Friedrichshafen. Passei porNem um pouquinho cansada de viajar. Saí do lago, passei por Heidelberg, ao longo do Reno, vistei amigos em Gütersloh, vi a parte histórica de Rheda-Wiedenbrück, visitei amigos em Hildesheim, desci para Fulda, Würzburg, visitei minha irmã e família em Munique e o caminho de volta foi por Allgäu, Lindau e Friedrichshafen. Visitei quase todos os estados alemães! Fiquei pensando na vida na minha viagem de trem pra Munique e cheguei a algumas conclusões:
-parece haver mais área verde do que área construída na Alemanha;
-tudo é tão organizadinho, parece mesmo uma casinha de boneca, principalmente as cidades históricas;
-parece não haver um lugar sequer desconhecido ou não explorado. Tudo está documentado e cuidado;
-este país é um país que deu certo. As ruas são bem construídas, os meios de transporte públicos são eficientes, tudo limpinho e em funcionamento;
-andar de trem continua uma delícia! Ainda mais de ICE com assento marcado;
-Independentemente de onde as pessoas morem, elas têm um bom nível de conforto e infra-estrutura, mesmo em cidades menores;
-o alemão sabe aquilo que lhe faz bem e repete sua fórmula pelo país inteiro: piscinas em aberto, muita natureza e muito respeito por ela, lindos parques e jardins bem cuidados, parquinhos super legais e bem equipados para as crianças…;
-agora na Copa, a Alemanha se enfeitou de cabo a rabo com as bandeiras do Brasil e da Alemanha. A animação aqui, depois da Copa bem sucedida de 2006, parece ser bem maior do que no Brasil. quase todos os estados alemães! Cheguei a algumas conclusões:
-parece haver mais área verde do que área construída na Alemanha;
-tudo é tão organizadinho, parece mesmo uma casinha de boneca, principalmente as cidades históricas;
-parece não haver um lugar sequer desconhecido ou não explorado. Tudo está documentado e cuidado;
-este país é um país que deu certo. As ruas são bem construídas, os meios de transporte públicos são eficientes, tudo limpinho e em funcionamento;
-andar de trem continua uma delícia! Ainda mais de ICE com assento marcado. Dica: no momento pode-se comprar um Bahncard 25 de 4 meses (que dá 25% de desconto nas passagens) apostando-se em quem vai ganhar a Copa. Se este país ganhar a competição, ganha-se uma Bahncard válida para o ano todo;
-Independentemente de onde as pessoas morem, elas têm um bom nível de conforto e infra-estrutura, mesmo em cidades menores;
-o alemão sabe aquilo que lhe faz bem e repete sua fórmula pelo país inteiro: piscinas em aberto, muita natureza e muito respeito por ela, lindos parques e jardins bem cuidados, parquinhos super legais e bem equipados para as crianças…;
-agora na Copa, a Alemanha se enfeitou de cabo a rabo com as bandeiras do Brasil e da Alemanha. A animação aqui, depois da Copa bem sucedida de 2006, parece ser bem maior do que no Brasil.

Agora, e como venho de uma família com “formiga na bunda”, já estou buscando os destinos das próximas viagens! 🙂

20140617-182846-66526738.jpg

::Diário de um final de semana perfeito::

16/02/2009

Eu tenho pouco costume de fazer do blog um diário, mas desta vez vale a pena. Vamos lá: Fazemos parte de um grupo de 120 pessoas que vivem na região de Constança, que nasceram em várias partes do mundo e falamos, juntos, mais de 50 idiomas. Trabalhamos por pura convicção e sem recompensação monetária ajudando outros estrangeiros que não falam bem o alemão, fazendo para eles tradução e interpretação e os ajudando durante visitas a órgãos do governo e médicos. Esse trabalho se chama Ehrenamtliche Sprachmittler” e é coordenado pelo Landratsamt Konstanz.

No sábado 30 pessoas deste grupo recebeu um presente especial: um seminário sobre como conseguir mais equilíbrio em todas as funções na vida e saber lidar melhor com os nossos e os problemas de outras pessoas, conservando assim maior harmonia e paz de espírito.

Nos foram dados 9 presentes, 9 instrumentos para lidar com o dia-a-dia e o seu potencial estressante. Durante a manhã aprendemos a teoria, à tarde nos dividimos em grupos e colocamos os ensinamentos em prática. No final da tarde os grupos mostraram seus resultados e dividiram suas experiências entre si.

Além dos resultados das discussões de grupo e da troca entre os participantes do seminário, uma parte bonita foi quando alguém do grupo sugeriu que além de nosso trabalho individual, também nos encontremos mais vezes para trocar idéias e passar horas agradáveis juntos. Isso porque somos um grupo de pessoas que se identificam entre si, com um ideal comum, que já passaram pela fase de se sentirem perdidos em um novo país e querem ajudar seus conterrâneos em alguns passos de suas vidas no estrangeiro.

Depois do final do seminário, entrei em um trem e fui para uma festa de brasileiros em Stuttgart, para conhecer a Maira do blog Retratos e Relatos. O dia já tinha se ido e no brilho das luzes da noite eu me perguntei em um momento se não tinha um parafuso a menos pegando trem, metrô e ônibus, enfrentando também o frio de uma noite de inverno para ir ao encontro de um grupo desconhecido. Depois de ter enfrentado meu medo e também a companhia de um senhor de Montenegro, que teimou em andar um tempo ao meu lado depois de eu ter pedido uma informação entre o metrô e o ônibus, cheguei na casa da Maira e felizmente foi tudo ainda melhor do que eu esperava: passei uma noite agradável com a Maira, seu marido (meu conterrâneo) e muitos outros brasileiros, comi uns caldos mineiros deliciosos (quero aprender a fazer!!!), a caipirinha estava no ponto, a boa música brasileira tocava ao fundo e a cama onde dormi também me acolheu muito bem. No outro dia ainda houve tempo para um papo cabeça com a Maira e seu marido, e depois do café da manhã eles me levaram para a estação central de trem de Stuttgart. Transpor a barreira do virtual para o real me mostra que há pessoas fantásticas em todos os cantos do mundo. Dentro em breve vou ficar feliz por receber a visita deles aqui. Hoje agradeço – e muito – pela recepção e pelo convite!!!

A viagem de volta foi fantástica! Um céu azul, um sol, a neve nas montanhas de pinheiro, tudo um show da natureza. Esta é uma das partes mais bonitas de se percorrer de trem dentro da Alemanha: atravessando a Floresta Negra, de Stuttgart até a fronteira com a Suíça. Fiz uma carta para mim (um dos ensinamentos do curso de ontem, como um pedido para o universo), li grande parte de um livro e fiz também minha primeira poesia em alemão dentro do trem:

NATUR IN DEUTSCHLAND / NATUREZA NA ALEMANHA

Der weite Blick

Die Berge voller Geschichten

Die Luft rein, voller Vergangenheit

Respekt für den Mitmensch

Ordnung, Sauberkeit, Ruhe.

Frieden, Freiheit, Freude

Innere Ruhe, Ausgeglichenheit

Die Natur lernt so viel

Gibt viel, verlangt wenig

Passt sich den Veränderungen an

Strahlt göttliche Energie aus

Schenkt Gelassenheit

Blauer Himmel

Unendlicher Raum

Der uns allen, mit der Natur, verbindet

**

O horizonte ao longe

As montanhas cheias de História

O ar limpo, cheio de passado

Respeito pelas pessoas

Organização, limpeza, tudo calmo

Paz, liberdade, alegria

Paz interna, dentro de mim tudo bem

A natureza ensina tanto

Dá tanto, pede pouco

Se adapta às mudanças

Exalta energia divina

Céu azul

Espaço interminável

Que, junto da natureza, nos une

Depois de datilografar o poeminha, percebo, sem que tivesse previsto ou preparado isso, que ele se compõe de duas estrofes de 7 linhas… Presente de hoje da natureza pra mim!

Ao chegar, o Matthias e o Daniel estavam me esperando na estação. O dia estava realmente maravilhoso. Ainda fomos à beirada do lago por alguns minutos antes de voltar pra casa. Mal coloquei o pé em casa e recebi um telefonema da Gláucia, uma amiga do meu querido amigo Fernando que oferece Terapia Craniosacral. Batemos um excelente papo e quase no finalzinho ela fez comigo um exercício de meditação tão fantástico que eu não tive palavras para agradecer por ela ter feito o meu final de semana ficar ainda mais perfeito do que já estava! Fernando, obrigada também por este presente!

Ao desligar o telefone, um almoço delicioso já esperava por mim e pelos meus, feito pelo Matthias. Uma vez em mil anos me dei a permissão para ir tirar uma soneca durante a tarde junto dele e do Daniel, fiz ioga (espero fazer todos os dias agora, com o programa do Nintendo DS) e estou aqui, me despedindo desses dois dias lindos, onde saí de casa de trem e voltei cheia de alegria, paz e gratidão pelo universo, tendo feito novos amigos e aprendido bons ensinamentos.


%d blogueiros gostam disto: