Anúncios

Archive for dezembro \31\UTC 2014

::Retrospectiva de 2014 do Mineirinha n’Alemanha::

31/12/2014

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2014 deste blog.

Aqui está um resumo:

O Museu do Louvre, em Paris, é visitado todos os anos por 8.5 milhões de pessoas. Este blog foi visitado cerca de 110.000 vezes em 2014. Se fosse o Louvre, eram precisos 5 dias para todas essas pessoas o visitarem.

Clique aqui para ver o relatório completo

Anúncios

::Como seria a Alemanha sem estrangeiros?::

29/12/2014

O jornal Süddeutsche Zeitung fez uma análise interessante de como seria a Alemanha sem estrangeiros. Uma excelente resposta aos defensores da extrema-direita. Confira:

::Qual é a sua missão?::

28/12/2014

Achar um texto lindo como este por acaso na imensidão da internet durante a passagem de mais um ano é uma dádiva, porque nos faz refletir sobre nosso propósito de vida e nos leva a um balanço mental. Desejo um bom balanço pra você também!

A missão de cada um tem conteúdos específicos e intransferíveis, carregados de dons únicos e potenciais que somente aquele indivíduo conseguiria desenvolver. Muito embora quando falamos sobre a missão de cada um, passamos a ideia de uma tarefa única, personalizada, encontrar e realizar a missão da alma tem aspectos genéricos que se aplicam a qualquer ser humano. Todos temos dons ocultos específicos que podem e devem ser aflorados durante a vida, os quais se bem aproveitados, poderão promover um incrível aumento na plenitude e na alegria de existir de uma pessoa. Contudo, mesmo após o afloramento de determinados dons, muitas pessoas ainda munidas de potenciais latentes, não conseguem se concentrar no que realmente importa, a evolução da consciência e o foco em um estilo de vida voltado para os valores da alma.

A maioria das pessoas, que em algum momento se perguntam sobre suas missões aqui na Terra, já começaram a sentir um dos primeiros sintomas que indicam que elas não estão alinhadas com os seus propósitos: o sentimento de vazio. Este sentimento não vem sozinho, com ele sempre encontramos a angústia, a frustração e o desânimo que gera o efeito nota 5.

O efeito nota 5 é aquele conjunto de características que surge em uma pessoa que não faz o que ama fazer, que não vive uma vida cheia de propósitos, que não tem alegria no olhar, que não consegue construir aquele tipo de motivação que transforma os lugares por onde ela passa. São pessoas que fazem “tudo direitinho”, que pagam as suas contas, que não fazem mal a ninguém, que são bons cidadãos e só! Não têm energia para criar novos projetos e para inspirar mais pessoas a tal. E a simples razão é porque não estão focando o estilo de vida para os valores da alma.

PRINCÍPIOS VALIOSOS

Alguns passos são necessários para que você comece a se alinhar com você mesmo:

1 – Evoluir sempre é a questão mais importante da nossa existência. Em primeiro lugar, você precisa melhorar os aspectos da sua consciência, curando os traços negativos da sua personalidade, como raiva, medo, tristeza, mágoa, pessimismo, intolerância, agressividade, tendência a criticar, tendência a controlar os outros, tendência a se isolar do mundo, tendência a se culpar, e assim por diante. Leia livros, faça cursos, terapia, participe de grupos específicos, todavia jamais, sob nenhuma circunstância, deixe de dar prioridade número um a curar os seus pensamentos e emoções negativas.

2 – Entenda que você é 100% responsável por você. Ninguém é responsável pela sua felicidade e você também não é responsável pela felicidade de ninguém. Arregace as mangas e siga em frente com vontade de fazer a diferença. Você pode até não saber o que está fazendo e também não ter certeza se está no caminho certo, mas se você estiver cheio de ânimo para encontrar o seu caminho, naturalmente irá encontrar, pois esse movimento obedece a leis naturais.

3 – Você não conseguirá ir a lugar nenhum se não valorizar o que você é e o que você tem no agora. Jamais reclame, jamais critique, tampouco gaste o seu tempo se lamentando pelo que não tem ou não conseguiu. Gratidão e foco no seu objetivo são ingredientes mágicos que irão turbinar a sua energia interna de realização.

4 – Ser para ter é a chave. No mundo atual, a maioria das pessoas olha ao seu redor e em algum momento sente uma carência profunda por não ter os bens materiais que o vizinho tem, por não ter o emprego que um amigo tem ou o relacionamento perfeito que aquela pessoa que está na mídia. Nesse momento, de forma ilusória, a pessoa pode acreditar que para ser feliz precisará dos bens materiais do vizinho, do emprego do amigo ou o relacionamento perfeito daquela celebridade. Como dificilmente ela conseguirá tudo isso, tal e qual as pessoas citadas conseguiram, então, o sentimento de carência pode vir à tona com toda força. Você não pode inverter o caminho das coisas, não podemos ter algo para ser, entretanto, devemos ser para ter. E o ser para ter envolve exatamente a aplicação correta do princípio 1.

5 – Adquira o hábito da reflexão diária. Sem parar todos os dias, silenciando os sons externos e acalmando a mente, você jamais escutará a voz da sua alma. Internamente, no âmago da nossa consciência encontramos as respostas certas para absolutamente todas as situações da nossa vida, contudo, não somos acostumados a isso. Todos os dias, feche os olhos por dez minutos e faça perguntas mentalmente para você, as quais têm o objetivo de analisar como a sua alma se sente quanto à forma como você vem vivendo a sua vida. Algumas perguntas que você pode se fazer são:

– Eu estou no meu lugar no mundo?
– Quanto esforço eu faço para ser aceito(a) pelas pessoas à minha volta? Isso é realmente necessário? Eu estou agindo corretamente?
– Qual é o tamanho e qual é a qualidade do legado que eu já construí nesta vida? Quantas coisas eu já fiz pelo mundo das quais eu posso me orgulhar?
– Eu gosto do que me tornei?
– O que eu pretendo começar a fazer neste instante para melhorar a minha vida e o mundo?

6 – Você só muda o mundo começando por você. Você não consegue mudar no outro o que não consegue mudar em você. Ensine pelo exemplo, seja o exemplo! Se quer mais harmonia, conquiste-a primeiro. Se quer que alguém tenha mais amor, mais paciência, mais perdão, então, tenha você primeiro mais amor, mais paciência e mais perdão.

7 – Saia do piloto automático. O mundo de hoje está programado para as pessoas não pensarem, não refletirem e viverem dentro de uma proposta de comportamentos controlados para um padrão materialista unicamente e linear. Não assista TV demais, não leia futilidades demais, não faça o que todo mundo faz o tempo inteiro, não fique na corrida louca do inconsciente coletivo, pois assim você será engolido.

8 – Tenha disciplina nos assuntos essenciais. Toda pessoa, com o tempo, descobre valores os quais ela não suporta viver sem, por isso, descubra quais são esses valores na sua vida e dê muita atenção a eles. Todos nós temos áreas de nossas vidas que podem ser consideradas estratégicas, então as mapeie e determine um plano de ação para que sejam bem organizadas em sua vida.

9 – Viver o seu melhor é uma consequência. Quando você aplicar na sua vida um estilo de vida e comportamentos voltados para os princípios anteriores, naturalmente os seus dons e talentos começarão a aflorar e você será inspirado a fazer novas coisas. Mas atenção! Não há como ser feliz com seus próprios talentos, se você não souber aplicar os princípios anteriormente citados.

Bruno J. Gimenes – Somos Todos Um – Leia o artigo original aqui.

::Pensamentos de fim de ano::

24/12/2014

Eu tenho uma amigona, a Chris, que prefere bichos ao ser humano. Primeiro, quando a conheci, eu achava isso intrigante, mas com o passar do tempo vou chegando à conclusão que ela tem razão.

Primeiro, porque somos bichos muito complexos. Já nascemos complexos, trazendo uma bagagem não sabe-se de onde, acumulando sabedoria, chatices e manias ao longo da vida… Mais cedo ou mais tarde, descobrimos que somos uma ilha. Percebemos que não conseguimos nos explicar para o mundo lá fora. Decepcionamo-nos ao nos perceber aquilo que somos, imperfeitos. Temos grande dificuldade de achar outros loucos que nos entendam. E padecemos na nossa solidão diária, mesmo que tenhamos muitos contatos ao longo de um dia-a-dia todo atarefado, todo atribulado, todo louco e estressante.

Segundo, porque temos uma mania imensa de achar que o mundo roda em volta do nosso umbigo. Meu filho de 9 anos, que é doido por astronomia, estava outro dia vendo uma reportagem sobre o buraco negro e eu perguntei onde é que o tal do buraco negro ficava. Ele, seguro de si, me disse que ficava no centro. No centro de onde, quis saber eu, no centro fica o sol, afirmei. Ele veio com um dos seus livros sobre astronomia e me mostrou nosso sistema solar como um ínfimo ponto no meio da galáxia onde estamos inseridos, entre tantas outras no universo, e no meio dela, claro, o buraco negro. Preciso de pensar nesta figura toda vez que correr o risco de me ensimesmar demais.

Terceiro, porque nós, seres humanos, somos verdaeiros idiotas, uns egoístas de marca maior, seguros de nós e de nossas verdades. Qualquer passarinho é mais inteligente do que nós. Eles voam para onde bem entendem, para onde está quente, para onde acham comida. Nós, seres altamente inteligentes, decidimos colocar linhas imaginárias nas terras e dividir a raça humana em grupinhos, discutindo qual é melhor, porque grupo A não combina com B, porque o povo do grupo A incomoda o B, e por aí vai. Somos verdadeiros idiotas. Habitamos um planeta onde, HOJE, seria possível viver em paz, com comida para todos, com oportunidades para todos, com a possibilidade de todos sermos felizes numa verdadeira aldeia global. Se não fosse, ah, se não fosse… a raça humana que divide, segrega, julga, tudo sob o ponto de vista de cada um. E quando está tudo analisado, recomeça a análise, num interminável processo de separação. Somos ilhas no universo.

Mas hoje é Natal. Tempo de confraternização, de amor ao próximo, de agradecimento. Lembramos do tsunami de 10 ANOS atrás (estamos mesmo ficando velhos!) e realizamos que, em um segundo, toda a nossa vida, tudo aquilo que temos e somos, pode sumir do mapa. Pedimos um pouco mais de humildade, para nós mesmos, para nossos semelhantes. E queremos lembrar de fazer de todo dia em 2015 um dia de Natal.

::Presente de Natal inesperado::

23/12/2014

Desde uns tempos atrás, vendo meu livro também pela Amazon. E foi assim que o último livro seguiu para um destino aqui no sul do país, desta vez para um alemão, o Bernd, que recebeu há alguns dias atrás o Mineirinha n’Alemanha autografado. Qual não foi minha surpresa ao receber hoje, pelos Correios, este lindo presente de Natal! Lindas palavras, um cartão de bom gosto, selo de Natal, tudo fofo. Eu, que adoro papel e até me adaptei bem à era digital, fiquei super feliz com este presentinho feito à mão! Muito, muito obrigada, Bernd!
Desejo para ele e pra todos vocês bons livros, boa leitura, um lindo Natal e um feliz 2015, cheio de boas surpresas como esta! 🙂

SONY DSC

 

 

::O movimento PEGIDA não é a Alemanha!::

23/12/2014

O movimento PEGIDA (europeus patriotas contra a islamização do país), através do qual estão sendo organizadas no momento passeatas com quase 20.000 pessoas em Dresden, me assusta e me preocupa muito. Detalhe: no Estado de Sachsen moram pouquíssimos estrangeiros! Um alemão com passado dubioso resolveu criar um grupo que luta contra a islamização da Alemanha, contra estrangeiros criminosos e contra asilados politicos no país. Acontece que todo e qualquer cidadão que está insatisfeito com relação a toda e qualquer coisa está indo às ruas no momento em Dresden. Nazistas, gente que não gosta de estrangeiros, alemães insatisfeitos com o número de asilados politicos na Alemanha, aposentados insatisfeitos com sua aposentadoria, gente que vive de ajuda do governo e está insatisfeito com o que recebe, desempregados, insatisfeitos por isso e por aquilo. Os politicos estão assistindo a este movimento e não sabem ainda como reagir a ele, ao mesmo tempo que os partidos de extrema-direita tentam se aproveitar do mesmo para tentar conseguir mais aliados, participando de todas as passeatas à paisana…

Enquanto casas que estavam prontas para receber refugiados foram queimadas na Baviera, o partido CSU afirma que todo mundo tem que falar alemão por aqui mesmo se estiver entre suas quarto paredes, muitos alemães criam associações para ajudar os asilados, para ensinar alemão, ajudar a procurar casa e emprego depois dos primeiros meses na Alemanha. Há uma grande movimentação na sociedade contra e a favor dos asilados, que lida com a atual transformação da sociedade alemã. O país está ficando cada vez mais internacional e a sociedade reage, responde a este fato, tanto do lado negativo, quanto do positivo. Em quase toda grande cidade alemã moram, atualmente, mais de 100 nacionalidades. Espero que o movimento PEGIDA desapareça do mapa da mesma maneira que surgiu, e que o extremismo não encontre razão real para se expandir.

Eure Feindbilder sind so real wie der Weihnachtsmann und nichts anderes als schlecht versteckter Rassismus. Und wenn man das Land verteidigt, dadurch dass rassistische Gedanken verteilt werden, was gibt es noch zu verteidigen.

“Os seus inimigos são tão reais quanto o Papai Noel e nada além do que racismo mal escondido. E se o país é defendido através da propagação de racismo, o que mais pode ser defendido.”

Claus von Wegner, comediante alemão

Veja o que ele diz sobre o movimento PEGIDA:

Fonte: Blog Campact


%d blogueiros gostam disto: