Anúncios

::Lula salta para a primeira divisão da diplomacia mundial::

“Lula sempre superou todas as resistências, e todos os cenários desfavoráveis com os quais se defrontou. O pai dele abandonou a família quando Lula era bem novo, e a mãe mudou-se com os oito filhos do nordeste do Brasil para o sul industrializado, onde ela esperava aumentar as chances de sucesso da família. Lula só aprendeu a ler e a escrever aos dez anos de idade. Quando criança, ele ajudou a sustentar a família trabalhando como engraxate e vendedor de frutas, e também como operário de uma fábrica de tintas. Ele acabou conseguindo fazer um curso de torneiro mecânico. Quando Lula tinha 25 anos de idade, a mulher dele, Maria, e o seu filho ainda não nascido morreram porque a família não tinha condições de pagar por atendimento médico adequado.

Lula tornou-se politicamente ativo quando era jovem, ao ingressar em um sindicato e organizar greves ilegais na época da ditadura militar. Ele foi preso várias vezes na década de oitenta. Insatisfeito com os esquerdistas clássicos, ele fundou o seu próprio Partido dos Trabalhadores, que gradualmente transformou-se de um partido marxista em uma agremiação social-democrata. Ele concorreu três vezes, sem sucesso, à presidência, até que, na quarta vez, venceu a eleição presidencial de 2002 com uma vantagem significante sobre o seu adversário. Foram os indivíduos mais pobres que, em um país de extremos contrastes econômicos, depositaram as suas esperanças no carismático líder trabalhista. Quando Lula venceu a eleição, os indivíduos extremamente ricos, temendo que os seus bens fossem desapropriados, mantiveram os seus aviões a jato particulares abastecidos, prontos para decolar.

O herói dos pobres distanciou-se de revoluções

Mas aqueles que esperavam ou que temiam uma revolução no Brasil ficaram surpresos. Após tomar posse, Lula levou alguns dos membros do seu gabinete a uma favela, e lançou um programa de grande escala chamado “Fome Zero” para aliviar os sofrimentos dos desprivilegiados. Mas ele não assustou os mercados. Aumentos dos preços das commodities e uma política econômica moderna que enfatizou os investimentos estrangeiros, a educação nacional e recursos para treinamento ajudaram Lula a se reeleger em 2006.
O mandato dele termina em dezembro, e Lula não poderá disputar novamente a reeleição. Ele colocou a casa em ordem e cultivou uma potencial sucessora. Mas o presidente autoconfiante deseja evidentemente deixar também um legado político: ele considera uma missão sua transformar o Brasil, com a sua população de 196 milhões de habitantes, em uma grande potência mundial, bem como assegurar uma cadeira permanente para o seu país no Conselho de Segurança da ONU.

Lula reconheceu que manter boas relações com Washington, Londres e Moscou é algo que ajuda o Brasil a tentar alcançar essa meta. Mas ele sabe também que vínculos fortes com países como a China e a Índia, bem como o Oriente Médio e os países africanos, poderiam ser ainda mais importantes. Ele se considera um homem do “sul”, e um líder dos pobres e desfavorecidos. E, é claro, ele também reconhece as mudanças que estão ocorrendo. No ano passado, por exemplo, a República Popular da China ultrapassou os Estados Unidos como o maior parceiro comercial do Brasil pela primeira vez na história.

Lula é o único chefe de Estado que participou tanto do exclusivo Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, quanto do Fórum Social Mundial, que criticou a globalização, na cidade de Porto Alegre, no Brasil. Ele é um viajante infatigável, tendo visitado 25 países só na África, muitos países asiáticos e quase todos as nações da América Latina – levando sempre consigo uma delegação econômica. Lula prega incansavelmente a sua crença em um mundo multipolar. E, como Lula é um orador carismático e um “autêntico” líder trabalhista, multidões em todo o mundo o saúdam como se ele fosse um pop star. Na reunião de cúpula do G20 em 2009, em Londres, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que aparentemente é um fã de Lula, afirmou: “Eu adoro esse cara”.

No entanto, Obama não pode mais ter certeza de que Lula é de fato “o seu cara de confiança”. O brasileiro está ficando cada vez mais autoconfiante à medida que se distancia de Washington e, às vezes, chega até a buscar a confrontação com os norte-americanos.
***
“Lula demonstrou que não pode mais ser ignorado no cenário internacional. Na última terça-feira, os amigos do presidente brasileiro elogiavam os seus esforços no sentido de fomentar a paz durante a reunião de cúpula América Latina-União Europeia em Madri. A participação do presidente tinha como objetivo demonstrar que a “lula” possui vários braços. Ele provou que é capaz de nadar na companhia de grandes tubarões.
Por trás dos bastidores, o Lula Superstar gosta de falar sobre como obrigou os diplomatas brasileiros a abandonarem a “síndrome de vira-latas”, o seu termo para designar o profundamente arraigado complexo de inferioridade que os brasileiros demonstravam até recentemente em relação aos norte-americanos e aos europeus.

O fato ocorreu em 2003, na primeira aparição internacional importante de Lula, na reunião de cúpula do G8, em Evian, na França. Um grupo de pessoas estava sentado no saguão do hotel onde ocorria a conferência, aguardando o então presidente dos Estados Unidos, George W. Bush. Quando os norte-americanos finalmente entraram no recinto, todos se levantaram – menos Lula, que ordenou ao seu ministro das Relações Exteriores que também permanecesse sentado. “Eu não participarei desta subserviência”, declarou o presidente brasileiro. “Afinal, ninguém se levantou quando eu entrei”.
***
Deu pra arrepiar? Eu arrepiei! 🙂

Fonte: Parte da reportagem da revista alemã “Der Spiegel” (O Espelho), publicada na UOL Notícias de 29/05/2010. Leiam a reportagem completa aqui e neste link a reportagem original em alemão da “Der Spiegel”.

Anúncios

Tags: , , , , , , ,

13 Respostas to “::Lula salta para a primeira divisão da diplomacia mundial::”

  1. mary Says:

    Brasil: Muito mais do que samba e carnaval !!!

  2. Roberta Says:

    Tb me arrepiei da mesma forma quando escutei o discurso do Lula após o Brasil vencer a sede das olímpiadas 🙂

  3. Raul Suhett de Morais Says:

    Olá, Sandra!
    Acabei de conhecer o seu blog por meio de uma amiga minha que o lê com freqüência. Ela me mandou o link desse post porque faz um tempo eu escrevi sobre as diversas aparições do Brasil nos jornais espanhóis. Muito bom o seu blog! Parabéns por ele e pelo livro também! Também sou mineiro fora de Minas e é bom ler gente que nem a gente. 🙂
    Um abraço, Raul.

  4. Alessandra Says:

    Brasileiro não precisa ser subserviente a ninguém por ser brasileiro. É claro que temos muitas coisas das quais devemos nos orgulhar, arte, recursos naturais etc, mas com toda a certeza o nosso Presidente Lula não está entre elas, ele, o Lula, é um exemplo de gafes internacionais, e também de que para ser alguém neste país não é preciso estudar ou ser honesto, é a vitória da ignorância e da indignidade, é o que de pior podemos mostrar, a podridão de nossa vida política, onde alianças costuradas com a miséria do país são a base da vitória de pessoas como o nosso Presidente Lula.

    • Sandra Santos Says:

      Oi Alessandra,
      Respeito sua opiniao e concordo quando fala que o Brasil tem um mundo político que está cheio de pessoas e fatos lamentáveis. Mas nao há como negar que nos últimos anos o poder de compra do brasileiro aumentou, que a classe média cresceu e que a pobreza diminuiu no nosso país, e isso é bom para o país como um todo, para a populacao brasileira. Hoje temos um país mais fortalecido economicamente e isso é fruto do trabalho de várias pessoas, dentro e fora da politica, dentre elas o Lula. Por isso tiro o chapéu pra ele, pois como o artigo mesmo descreve, ele nao teve vida fácil e já passou por muitas dificuldades em sua vida. Eu, da minha parte, o admiro tanto como pessoa quanto como presidente, apesar de todos os pesares. Acho que nao se muda um país de um dia para o outro, mas a cada dia um pouco mais.
      Um abraco,
      Sandra

  5. Gisele Says:

    Olá Sandra,
    respeito sua opinião e entendo suas motivações para admirar nosso presidente, sua história de vida humilde, etc, mas não entendo até hoje como uma pessoa consegue se aposentar por invalidez tendo perdido um dedo e tantas outras sofrem acidentes perdendo as pernas e braços e sofrem pra conseguir o mesmo benefício.
    Sem contar as suspeitas se esse acidente foi um acidente mesmo, dessa forma tendo essa dúvida sobre o caráter dessa pessoa, que estando aposentada por invalidez mesmo estando apta ao trabalho (exceto pelo dedo mindinho) viver de fazer discursos e nunca pensar em se aprimorar através dos estudos….são motivos para que eu não tenha admirição pelo nosso presidente como pessoa, pois querendo ou não é esse o exemplo que ele dá: de que não precisa de estudo pra ser presidente, da mesma forma que ele sugeriu tirar o inglês da grade curricular das escolas públicas, pq ele não sabe inglês as crianças tb não precisam aprender?
    Qto ao fator da diplomacia, realmente ele tem feito muita propaganda positiva do Brasil mas tb tem cometido muitas gafes e metido os pés pelas mãos muitas vezes, especialmente qdo resolve se meter em assuntos que não tem nada a ver com o Brasil (como a questão das armas nucleares) e acaba colocando nosso país numa situação desagradável.

    • Sandra Santos Says:

      Oi Gisele,
      Acredito que por isso é que é bom vivermos em países democráticos, para que tenhamos a oportunidade de trocar ideias e expor nossas opinioes.
      Obrigada pela sua.
      Um beijo,
      Sandra

  6. Nara Says:

    “Eu, da minha parte, o admiro tanto como pessoa quanto como presidente, apesar de todos os pesares. Acho que nao se muda um país de um dia para o outro, mas a cada dia um pouco mais.”

    faço suas as minhas palavras, e também respeito comentários como este último, apesar de lamentá-los profundamente, visto que refletem uma posição bastante conservadora e atrasada sobre o papel de um presidente e sobre o nosso país, e ignorante no que diz respeito às habilidades de Lula.

    parabéns mais uma vez pelo blog e por suas percepções políticas!

  7. ::Lula salta para a primeira divisão da diplomacia mundial:: (via Mineirinha n’Alemanha) « florencio1 Says:

    […] "Lula sempre superou todas as resistências, e todos os cenários desfavoráveis com os quais se defrontou. O pai dele abandonou a família quando Lula era bem novo, e a mãe mudou-se com os oito filhos do nordeste do Brasil para o sul industrializado, onde ela esperava aumentar as chances de sucesso da família. Lula só aprendeu a ler e a escrever aos dez anos de idade. Quando criança, ele ajudou a sustentar a família trabalhando como engraxate e vend … Read More […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: